nsc
    nsc

    Irregularidades

    Prefeitura e Casan realizam blitz a ligações irregulares de esgoto no Campeche, em Florianópolis

    A inspeção começou na manhã desta sexta-feira, pela Avenida Campeche

    27/10/2017 - 07h12

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    (Foto: )

    Em uma ação conjunta, a prefeitura de Florianópolis e Casan, estão realizando na manhã desta sexta-feira uma nova vistoria nas ligações de esgoto no Campeche, no sul da Ilha. O objetivo é identificar e lacrar conexões irregulares de esgoto à rede de drenagem, implantada para conduzir somente água da chuva. Além de ilegal, a infração causa mau cheiro, sujeira nas ruas e atinge os córregos da região, como o Riozinho.

    A blitz também deve averiguar casos em que proprietários de imóveis fazem ligações à rede de esgoto instalada na região, mas que ainda não está operante, à espera da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). Além de lacrar as ligações irregulares e notificar os moradores, a ação prevê a limpeza da rede de esgotos com caminhão hidrovácuo.

    A inspeção começou pela Avenida Campeche e transversais e à tarde se estende a outras vias do bairro. Os fiscais pretendem seguir, preferencialmente, um roteiro de denúncias recentes feitas à Floram e à Vigilância Sanitária. Os pontos costumam ser indicados por denúncias dos próprios moradores. Uma eventual multa aos infratores precisa ser aplicada pela Vigilância Sanitária.

    A rede de esgotamento sanitário do Campeche, implantada na década passada, aguarda a construção da ETE do Rio Tavares para entrar em operação.

    Confira as orientações para regiões com redes de esgotos que não estão em operação:

    - Moradores devem ter seu tratamento individual, com no mínimo com fossa séptica e sumidouro, de acordo com as Normas da ABNT 7229/1993, 13969/1997 e 8160/1999.

    - Faça periodicamente a manutenção de seu sistema individual. No caso de fossa, limpeza com auxílio de caminhão hidrovácuo (limpa-fossa) devidamente regularizado.

    - A caixa de gordura também deve ser limpa periodicamente, no máximo a cada 6 meses, ou menos, dependendo do uso.

    - No caso de serviço por caminhões limpa-fossa, o prestador pode limpar também a caixa de gordura.

    - No caso de limpeza manual, o material sólido retirado da caixa de gordura deve ser colocado em um saco de lixo e descartado junto aos demais resíduos coletados pela Comcap.

    - No caso de estabelecimentos como restaurantes, a frequência de limpeza deve ser bem maior, em alguns casos até toda semana.

    Leia as últimas notícias sobre a Grande Florianópolis

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas