nsc
    dc

    Pandemia

    Prefeitura Municipal de Florianópolis segue atendendo pessoas em situação de rua durante a pandemia

    Respeitando todos os protocolos de segurança, a PMF reorganizou o local e está realizando mais de 200 atendimentos por dia no local

    02/03/2021 - 14h41 - Atualizada em: 04/03/2021 - 16h05

    Compartilhe

    Estúdio
    Por Estúdio NSC
    Atendimento às pessoas de rua na pandemia
    Cerca de 200 pessoas são atendidas diariamente pelas equipes de colaboradores e voluntários na Passarela da Cidadania, em Florianópolis.
    (Foto: )

    A pandemia da Covid-19 atingiu toda a população de Florianópolis, e as pessoas em situação de rua, já consideradas em situação de vulnerabilidade social, se tornaram ainda mais expostas aos riscos de saúde, principalmente por não terem condições mínimas de manterem o isolamento social. Os danos socioeconômicos a essas pessoas são imensos, e, devido ao aumento do desemprego e à baixa contratação para trabalhos informais (bastante comum em outras temporadas de verão) podem ser fatores que ampliaram ainda mais esses riscos.

    Pensando nisso, a Prefeitura Municipal de Florianópolis, por meio da Secretaria de Assistência Social de Florianópolis, agiu rapidamente para aplicar os protocolos sanitários de prevenção à Covid-19 e como consequência, manter os serviços de acolhimento, alimentação e higiene oferecidos pelo projeto Passarela da Cidadania (Passarela Nego Quirido), que atende pessoas em situação de rua no município.

    >> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

    Cerca de 200 pessoas são atendidas diariamente pelas equipes de colaboradores e voluntários na Passarela da Cidadania. No local, são oferecidos os serviços de alimentação, pernoite, banho e corte de cabelo. O espaço conta, ainda, com uma biblioteca comunitária, tanques para lavagem de roupas (e varais), distribuição de kits de higiene pessoal e doação de roupas.

    As refeições são elaboradas no espaço e fazem parte de um cardápio montado por uma profissional de nutrição, que inclui todas as proteínas e vitaminas necessárias para os acolhidos na Passarela. Semanalmente, as composições são alteradas, sempre de maneira que supra as necessidades nutricionais.

    Um diferencial importante no atendimento à população de rua é a permissão para que os animais de estimação entrem e permaneçam no local com seus donos. Periodicamente, uma equipe da Diretoria de Bem Estar Animal (Dibea), vai à Passarela entregar ração, monitorar a saúde dos animais e encaminhar ao atendimento médico veterinário, se necessário. Os animais das pessoas atendidas na Passarela também são castrados gratuitamente.

    Respeito às normas de segurança sanitária e cuidados médicos

    Durante a pandemia, os acolhidos recebem máscaras de proteção individual e orientações sobre como devem se cuidar para prevenir o contágio pelo coronavírus. Nos dormitórios, há distanciamento social de um metro e meio entre as camas, e as atividades ao ar livre são prioridade. Recentemente, a Passarela recebeu 50 novas camas de madeira, para substituir os paletes utilizados anteriormente. Ao longo das próximas semanas, novas melhorias serão implementadas no local.

    As pessoas em situação de rua contam, também, com os atendimentos do Consultório na Rua, um serviço criado pela Prefeitura Municipal que oferece consultas médicas – tanto de prevenção quanto de tratamento. Há, ainda, a garantia de isolamento de todos os casos suspeitos.

    Para pernoite, somente estão sendo aceitos novos acolhimentos via encaminhamento, A adesão aos serviços da Passarela da Cidadania deve ser espontânea, mas os profissionais das equipes de atendimento realizam abordagens para explicar a importância dos serviços sociais para a autonomia e resgate da cidadania.

    Além dos cuidados básicos, atendimento foca na socialização e devolve a dignidade às pessoas em vulnerabilidade social

    Embora absolutamente necessários, os cuidados básicos de alimentação e higiene são apenas uma parte dos serviços oferecidos na Passarela da Cidadania. Equipes de servidores e voluntários também realizam grupos de leitura, oficinas de arte, rodas de conversa e de debates, atendimentos psicológicos e de assistência social, preparação para o mercado de trabalho e encaminhamento a vagas de emprego.

    — Os atendimentos feitos para a população em situação de rua são de extrema importância, principalmente no contexto da pandemia do novo coronavírus. A doença, que é transmitida com distanciamento social, muitas vezes não pode ser evitada por quem não tem um abrigo digno, e no local eles possuem esse suporte. Já fizemos doações de máscaras e reforçamos medidas de distanciamento. Além dos serviços oferecidos para este primeiro suporte, quem desejar pode receber o auxílio dos assistentes sociais e psicólogos do espaço para a procura de empregos. Nós sempre incentivamos a autonomia dos públicos atendidos e pretendemos com o acolhimento digno e humanizado transformar a vida dessas pessoas — explica a secretária de Assistência Social de Florianópolis, Maria Cláudia Goulart da Silva.

    Acesse o site da Prefeitura Municipal de Florianópolis e acompanhe as ações realizadas no combate à Covid-19.

    Leia também

    Prefeitura de Florianópolis inaugura espaço para atender empreendedores locais no período durante e pós pandemia

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Especiais Publicitários

    Colunistas