nsc
    nsc

    Juntos por Santa Catarina

    Projeto “Delivery Seguro” ajuda restaurantes a se prepararem para atender com segurança 

    Boas práticas de segurança alimentar, adequações para preparação dos lanches, definição de embalagens apropriadas de armazenamento são alguns dos pontos trabalhados nos workshops 

    21/07/2020 - 11h19

    Compartilhe

    Estúdio
    Por Estúdio NSC
    Projeto “Delivery Seguro” ajuda restaurantes a se prepararem para atender com segurança
    (Foto: )

    A pandemia da Covid-19 trouxe uma nova realidade aos pequenos negócios da área da alimentação fora do lar. O cenário de portas fechadas no início do distanciamento social oscilou para redução drástica do fluxo de consumidores nos bares e restaurantes com a retomada gradativa das atividades. Para minimizar os reflexos econômicos a alternativa foi migrar para uma nova tendência do setor: o delivery.

    O mercado brasileiro já era promissor para o delivery e ganhou ainda mais espaço durante essa pandemia, pois o serviço se tornou um aliado na manutenção dos negócios. De acordo com levantamento da Rede Itaú, as compras pelo delivery aumentaram 59% em abril deste ano, no comparativo ao mesmo período anterior. O serviço se tornou imperativo para toda a população diante de um cenário no qual as medidas preventivas são valiosas e urgentes. Contudo, é fundamental planejar como executar com eficiência para atender esses novos clientes.

    No projeto “Delivery Seguro”, realizado por meio de workshops online e gratuitos, os estabelecimentos do setor na região oeste do Estado foram orientados sobre as exigências da legislação, as boas práticas de segurança alimentar, adequações para preparação dos lanches, definição de embalagens apropriadas de armazenamento. A iniciativa é do Sebrae/SC, da Prefeitura de Chapecó, do Sihrbasc e do Chapecó Convention & Visitors Bureu.

    Confira algumas orientações para o reposicionamento do setor gastronômico:

    Planejamento

    O planejamento garante um delivery com agilidade, qualidade, definição dos processos e divulgação do produto e do estabelecimento. Essa preparação contribui para gerar lucro, credibilidade e satisfação do público consumidor, pois o serviço é utilizado como estratégia.

    A entrega deve ser vislumbrada como um diferencial do negócio, pois de nada adianta bom posicionamento e presença nas redes sociais se a empresa apresenta problemas e atrasos na logística.

    Legislação

    As boas práticas de manipulação e os cuidados que devem ser tomados durante o preparo dos alimentos são orientados pelas regras da RDC 216/04, voltadas aos serviços de alimentação e também da nova portaria do Governo Estadual SES nº 256/2020.

    As medidas visam reduzir os riscos de contaminação dos alimentos, pois em condições ideais uma única bactéria pode se multiplicar 130 mil vezes. Segurança alimentar remete à prática de medidas que permitem o controle de qualquer agente que promova risco à saúde ou integridade física do consumidor.

    Divulgação

    Para estruturar um sistema de delivery é necessário definir os canais que serão utilizados para o contato com os clientes: aplicativos e plataformas de compra e alternativas para efetivar o pagamento.

    Na implantação é necessário avaliar os custos de embalagem, percentual retido pelas plataformas, taxas de entrega e equipe necessária para operar o serviço.

    Cardápio

    Os estabelecimentos devem ter um cardápio específico para o delivery. bA regra básica é não sacrificar a qualidade, pois isso refletirá no futuro do negócio. Identifique o que vende bem e o que tem maior margem de lucro.

    Acesse o canal Juntos Por Santa ​Catarina e veja iniciativas inspiradoras de quem vem enfrentando a crise da Covid-19.​​​​​​​​​​​​​​​​​​

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Economia

    Colunistas