nsc
an

Cultura

Projeto JoinvilLÊ é instalado no Terminal Central de Joinville

A biblioteca móvel está disponível para os usuários do transporte público da cidade

25/06/2013 - 13h35 - Atualizada em: 26/06/2013 - 05h46

Compartilhe

Por Redação NSC
A vendedora Danieli aprovou a iniciativa do projeto
A vendedora Danieli aprovou a iniciativa do projeto
(Foto: )

Eva de Oliveira observou atentamente a vitrine de livros antes de escolher um título. Sem o auxílio de ninguém, pegou um dos quase 200 livros disponíveis e saiu satisfeita. A zeladora aposentada foi a primeira pessoa a participar do projeto JoinvilLÊ, da Fundação Cultural de Joinville.

O programa consiste em uma biblioteca móvel, adaptada em uma bicicleta, com livros disponíveis para empréstimos gratuitos. Sem nenhum tipo de controle ou prazo de devolução, a bicicleta ficará à disposição dos leitores no Terminal Central, diariamente. E o que dona Eva achou disso tudo?

- Acho bom, porque muda muita coisa, ajuda na leitura -, afirma.

Ela já está familiarizada com o projeto, pois já conhecia o sistema em Curitiba (PR), onde era acostumada a emprestar livros para levar para a neta. Obviamente, o primeiro livro do JoinvilLÊ foi escolhido para a menina de 11 anos.

A vendedora Danieli Cristina Robaert também já havia visto um projeto semelhante e aprovou a iniciativa.

- É ótimo, porque também ajuda a conhecer os autores daqui -, elogia, já que a maioria dos livros disponíveis são escritos por autores da cidade, contemplados pelo projeto do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (Simdec).

Aliás, alguns livros possuem dedicatórias especiais para os leitores do JoinvilLÊ. Outros gêneros, como literatura e religião, também fazem parte do acervo.

De acordo com o diretor executivo da FCJ, Joel Gehlen, a ideia é incentivar o hábito da leitura, principalmente em quem não é muito próximo dos livros.

- Algumas pessoas esperam 15 a 20 minutos pelo ônibus, e podem aproveitar para ler neste período, ou até mesmo no trajeto -, aponta.

Estimular a cultura do empréstimo e devolução será um desafio, mas, de acordo com Joel, em outras cidades que possuem o mesmo projeto, 70% das pessoas colaboram com o processo. Cada exemplar possui um carimbo do programa, para estimular a conscientização das pessoas quanto a devolução. Para evitar a venda dos livros, os sebos da cidade foram orientados a não aceitar exemplares que possuam a marca.

O projeto ainda é um piloto, que segue o modelo de outras cidades pesquisadas, como Curitiba e São Paulo. O objetivo, de acordo com o presidente da FCJ, Rodrigo Coelho, é implantá-lo em todos os terminais da cidade.

- Um quarto da população joinvilense anda de ônibus e muitas dessas pessoas estão distantes das bibliotecas, por isso a ideia de colocar aqui -, justifica.

Para quem quiser doar livros e contribuir com a biblioteca móvel, é necessário entrar em contato com a Fundação Cultural no telefone (47) 3433-2190, para que os exemplares recebam o carimbo do projeto.

Como funciona:

O leitor pode escolher o livro e devolver quando quiser. Quando houver outras bibliotecas móveis instaladas, os livros poderão ser devolvidos em qualquer unidade.

Colunistas