nsc
    santa

    Reflexos da greve

    Qualidade dos combustíveis é questionada pelo consumidor

    Equipe da NSC ouviu especialistas para saber se existe algum perigo de contaminação

    04/06/2018 - 16h23

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    Químico garante que o combustível não perdeu qualidade pelo tempo que ficou parado
    Químico garante que o combustível não perdeu qualidade pelo tempo que ficou parado
    (Foto: )

    O consumidor que esperou tanto para abastecer, agora tem receio sobre a qualidade da gasolina que voltou às bombas.

    – Não tenho aquela certeza se é a mesma qualidade. Acho que pode ter alguma coisa diferente – diz o pedreiro Luiz Dias.

    O Procon de Blumenau recebeu três denúncias depois da volta dos combustíveis nos postos. Antes da greve, era uma reclamação incomum. Luiz diz que a fumaça surgiu no sábado, depois que ele abasteceu. Ele chegou a guardar as amostras do combustível.

    – A gente orienta o consumidor se ele tem uma reclamação a ir até o Procon levando o cupom fiscal para montar a reclamação. Hoje o Procon não tem especialistas que fazem os testes para verificar que foi feito alguma alteração no combustível, mas existem órgãos para isso – explica o fiscal do Procon, Carlos Henrique Reinert.

    A reportagem foi tirar a dúvida do consumidor com especialistas. O laboratório da Furb testa o combustível dos postos de SC e do Paraná. Os estabelecimentos são sorteados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás natural e Biocombustíveis (ANP). A ANP também manda para Blumenau as amostras dos postos denunciados pelo consumidor

    São fiscalizados 1,2 mil postos por mês, 600 de cada estado. O trabalho diminuiu durante a greve dos caminhoneiros, mas deve voltar nos próximos dias. E para o alívio de quem espera nas filas para abastecer, o químico responsável garante que o combustível não perdeu qualidade pelo tempo que ficou parado.

    – A quantidade de dias que esses tanques ficaram vazios é muito pouco pra sofrer uma infiltração ou condensação de água, que seriam contaminantes, digamos assim. Então, se o combustível apresentar problema há indícios de uma não conformidade e ela deve ser denunciada ao 0800-9700267 (da ANP) ou Procon do município onde esse posto está localizado – diz Edesio Simionatto, coordenador do laboratório da Furb.

    Leia também

    Procon fiscaliza postos de combustíveis e mercados em Blumenau

    Colunistas