O caso do Edifício Morada do Norte, localizado na Beira-mar Norte, em Florianópolis, que foi evacuado com risco de colapso, acendeu o alerta sobre a necessidade de serem realizadas vistorias. O prédio, de 42 anos, teve uma viga rompida nesta segunda-feira (15). Especialistas reforçam que edifícios antigos e perto do mar precisam ter cuidado redobrado e manutenções mais frequentes.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

De acordo com o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Santa Catarina (CREA/SC), apenas alguns municípios no Brasil possuem lei de inspeção predial. De modo geral, não há órgão específico responsável, cabendo ao síndico o compromisso da gestão e contratação de profissionais responsáveis, que podem ser tanto engenheiros quanto arquitetos.

Cabendo ao síndico a responsabilidade de organizar as vistorias, foi justamente o que o Iran Santana fez. Ele é síndico de um prédio que fica localizado na Beira-Mar Continental, no Estreito, que foi construído há sete anos.

— A gente decidiu fazer o laudo técnico pra ver se depois de 5 anos o prédio estava com toda a estrutura correta, se não tinha nenhuma falha de construção ou se poderia ter um agravo pro futuro. Até pra não ter incômodo pros condôminos, algum prejuízo futuro — conta o síndico.

Continua depois da publicidade

Manutenção em prédios antigos e perto do mar

A regularidade com que uma manutenção precisa ser feita depende da norma de desempenho de cada edifício, que é definida com base em fatores como localização e tamanho. Nesse documento são listados todos os itens, como pintura, hidráulica e elétrica, e cada um tem uma durabilidade específica.

— Se ele tem uma idade muito mais avançada, o período dessa inspeção predial tem que ser mais curto. a cada dois anos, a cada três anos para verificar como está a instalação elétrica, gás, a parte hidráulica, de estrutura. É um conjunto de ações que torna o imóvel mais seguro para os usuários — explica a engenheira civil Silvania Miranda do Amaral, conselheira do CREA/SC.

Um dos principais pontos de atenção para prédios afetados pela maresia, como é o caso do Edifício Morada do Norte, em Florianópolis, é a pintura, como explica o presidente do Instituto Nacional de Avaliações e Perícias (IBAPE), Sérgio Becke,

— Devido à proximidade com o mar, o prédio precisa fazer uma boa pintura para não deixar passar umidade e causar corrosão. Depois que causa corrosão, é um trabalho muito mais complicado e caro — destaca.

Continua depois da publicidade

O que verificar na hora de comprar um imóvel

Futuros donos de imóveis e inquilinos que pretendem alugar um apartamento devem ficar atentos a alguns danos dentro do local, que podem estar relacionados com problemas maiores.

O presidente do IBAPE destaca que é importante verificar se portas e janelas estão fechando de forma certa. Por exemplo, caso a porta encoste no chão ao abrir, essa pode ser indicação de um problema estrutural no edifício. Também vale ficar atento à rachaduras e fissuras.

Confira fotos do prédio com risco de colapso

Leia mais

Rompimento de viga causou evacuação em prédio na Beira-mar Norte, em Florianópolis

Tremor, pavor e corre-corre: como foi o momento do rompimento de viga em prédio de Florianópolis

FOTOS: Apartamento em prédio com risco de queda em Florianópolis custa quase R$ 1 milhão

Destaques do NSC Total