nsc
    dc

    Agroindústria

    Queda nas exportações de carnes causa surpresa 

    Números de agosto foram negativos, mas acumulado do ano segue positivo

    06/09/2019 - 15h32 - Atualizada em: 06/09/2019 - 15h46

    Compartilhe

    Darci
    Por Darci Debona
    Agosto teve queda nas exportação de frangos e suínos
    Exportações de frango caíram 33% em agosto mas, no acumulado do ano, estão 20% maiores do que em 2018
    (Foto: )

    A queda nas exportações de carnes em agosto causou certa surpresa no setor, que vinha com números muito bons no ano. Os números foram negativos tanto no Brasil, quanto em Santa Catarina.

    No estado a queda maior foi no frango. Santa Catarina vendeu 83 mil toneladas, 39,6% a menos do que as 138 mil toneladas de agosto do ano passado. O faturamento, de US$ 152 milhões, foi 33% menor do que os US$ 228 milhões de agosto do ano passado.

    Dos 10 principais compradores apenas o México aumentou as compras, 27% em volume e 12% em quantidade.

    A venda de suínos foi de 29,9 mil toneladas e faturamento de US$ 65 milhões, o que representou uma queda de 12% em quantidade e 2% em faturamento em relação a agosto do ano passado, quando foram embarcadas 37,6 mil toneladas no valor de U$$ 63 milhões.

    Houve queda de 17,3% nas vendas para a China e 34% para o Chile, em valores, que eram os principais compradores. Em compensação aumentaram as vendas para Hong Kong, em 19,7%, para a Argentina, em 2,4% e, para a Rússia, em 35%. Pela ordem são os cinco maiores importadores de suínos de Santa Catarina.

    O motivo da queda nas exportações ainda não está muito claro, segundo o analista do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri, Alexandre Giehl.

    - É estranho pois a demanda de carnes continua grande no mercado internacional pelos problemas com a peste suína. A avaliação é de que essa queda é pontual, pois a China está abatendo animais para vazio sanitário e isso vai causar uma menor oferta lá na frente – explicou.

    Diretores da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) também projetaram uma demanda maior até o final do ano no mercado internacional de carnes.

    -Atrasos em embarques devido a questões burocráticas nas vendas para a China, Emirados Árabes e outros mercados foram determinantes para o menor fluxo registrado em agosto. Por se tratar de questões burocráticas, e não comerciais, há a expectativa de retomada dos níveis de exportações já no próximo mês -, analisa Francisco Turra, presidente da ABPA, sobre o frango. No caso dos suínos o motivo foi semelhante e a expectativa é de reversão no próximo mês.

    No acumulado do ano as vendas seguem positivas. Santa Catarina exportou 909 mil toneladas de frango em oito meses, com faturamento de US$ 1,5 bilhão. Isso representa um aumento de 20,1% em volume e 24,8% em faturamento.

    Nos suínos as vendas acumuladas do ano foram de 266 mil toneladas e US$ 530 milhões. Aumento de 20,5% em volume e 28,1% em faturamento.

    Colunistas