publicidade

Buscas

Região de Blumenau tem 79 pessoas desaparecidas, segundo a Polícia Civil

Número compreende cinco cidades do Vale do Itajaí

12/08/2019 - 16h12 - Atualizada em: 12/08/2019 - 16h24

Compartilhe

Redação
Por Redação Santa
Jessica Willinsky foi vista pela última vez em 16 de outubro do ano passado
Jessica Willinsky foi vista pela última vez em 16 de outubro do ano passado
(Foto: )

Alex, Claudiane, Nelson, Úrsula. Esses são alguns dos 49 nomes que compõem a lista de pessoas desaparecidas em Blumenau. O número muda constantemente, assim alguns estão ali há décadas, outros acabaram de entrar.

Caso, por exemplo, de Marcelo Fagundes dos Santos, de 32 anos, que desapareceu no último domingo, no bairro Testo Salto, e Marcílio Erwin Puchler, que sumiu em 13 de outubro de 1994, no Vorstadt, na época com 30 anos.

Na vizinha Indaial, a quantidade de pessoas desaparecidas oficialmente, conforme registro no site da Polícia Civil, chega a 12. Jessica Willinsky é uma delas. Foi vista pela última vez em 16 de outubro do ano passado, quando tinha 15 anos.

Gaspar e Pomerode totalizam sete cada uma, enquanto em Timbó são quatro. Em todo o Estado o número chega 1.412. Responsável pela única Delegacia Especializada em Pessoas Desaparecidas (DPPD) de Santa Catarina, que fica em Florianópolis, o delegado Wanderley Redondo estima que aproximadamente 10% dos desaparecidos já tenham sido encontrados.

O problema, segundo ele, é a falta de comunicação às autoridades quando a pessoa é localizada. Na tentativa de manter o sistema atualizado, parte importante do tempo dos agentes consiste em checar com familiares se as pessoas cadastradas realmente continuam sendo procuradas. Para tentar mudar essa situação, o delegado levou uma proposta de melhora no sistema ao governo do Estado.

A ideia é fazer com que os familiares que registraram ocorrência de desaparecimento confirmem que a pessoa continua sendo procurada num prazo de até 15 dias.

— Se a família voltar a fazer contato com a delegacia e informar que a pessoa permanece desaparecida, a investigação continua e o nome dela seguirá no sistema. Se não confirmar, o registro será excluído automaticamente — explica o delegado Redondo.

Confira nomes e cidades

Saiba como agir

Se uma pessoa desaparecer, é importante registrar junto às autoridades o quanto antes. Não há necessidade de esperar 24 ou 48 horas. O mais rápido, melhor. Amigos, familiares, vizinhos, colegadas de trabalho, todos podem informar o desaparecimento. Isso deve ser feito na delegacia de Polícia Civil ou pelo telefone 190, da Polícia Militar.

Deixe seu comentário:

publicidade