nsc

Artigo

Ricardo Dalbosco: "Quantos seguidores de fato lhe ouvem nas redes sociais?"

Autoconhecimento é fundamental na hora de cuidar da carreira nas redes

30/03/2022 - 17h16 - Atualizada em: 30/03/2022 - 17h17

Compartilhe

Por Redação NSC
Para ter respostas positivas para essas perguntas, é preciso se mexer e se dedicar
Para ter respostas positivas para essas perguntas, é preciso se mexer e se dedicar
(Foto: )

*Artigo por Ricardo Dalbosco

Antes de qualquer ação nas redes sociais, você precisa olhar para si mesmo, para sua marca pessoal ou mesmo empresarial, e se perguntar:

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

- Quem é meu cliente?

- Onde ele está?

- Quais são seus hábitos de consumo?

- Como posso abordá-lo sem ter cara de venda?

O fato de não termos esse contato presencial colocou o modo de fazer networking digital em foco e fez com que profissionais começassem a refletir se estavam fazendo isso de maneira estratégica. Com a entrada em volume das redes sociais em nossas vidas, um erro básico aconteceu a partir do momento que muitos profissionais acreditaram que ter um aceite no pedido de conexão significava estar aumentando seu networking.

Networking é troca, relacionamento, habilidade de fazer e manter contato com pessoas que podem lhe ajudar e também você pode ajudá-las. Você pode ter milhares de conexões e conhecer dezenas de pessoas, mas:

- Quantas de fato lhe ouvem?

- Quantas recomendam você para um trabalho, projeto ou cargo?

- Quantas lembram do seu nome?

- Quantas estão dispostas a lhe ajudar quando precisa?

Você sabe que para ter respostas positivas para essas perguntas, é preciso se mexer e se dedicar. Nem sempre é fácil criar uma conexão e relação com profissionais que têm o poder de decisão, mas se continuar tendo as mesmas atitudes nas mídias digitais sendo apenas um consumidor e não um protagonista, seu networking realmente não irá melhorar em função de um princípio básico: você não está criando valor ao seu público-alvo…e valor é uma percepção, ou seja, é o que o eu cliente acredita ser e não o que você quer “empurrar” como venda.

Por isso, faça uma análise por onde você anda, qual rede social está e com quem você tem mantido contato. Aqui já irá encontrar potenciais falhas no seu posicionamento de marca pessoal no mercado. Será então que não é o momento de sair um pouco da sua zona de conforto para dar saltos maiores e aumentar o número de convites, oportunidades e negócios em sua carreira por meio da visibilidade e criação de autoridade moral em seu segmento por meio da sua presença digital?

O que não dá é para ficar no mesmo estágio da força (ou fraqueza) do seu branding pessoal esperando um resultado diferente ao final do dia...e tudo começa pela atitude de iniciar.

Virar referência em alguma área é acreditar que há uma versão ainda melhor dentro de você que o mundo ainda desconhece.

Colunistas