nsc
dc

De pilcha pronta

Rodeio nacional em São José aguarda mais de 50 mil pessoas

Cinco dias de festa incluem, além do rodeio, ações campeiras como ginetadas e provas de laço

25/04/2014 - 09h10 - Atualizada em: 25/04/2014 - 09h27

Compartilhe

Por Redação NSC
Cada dia do evento contará com bois de um pecuarista diferente da Grande Florianópolis
Cada dia do evento contará com bois de um pecuarista diferente da Grande Florianópolis
(Foto: )

É hora de esquentar a água do chimarrão, tirar a bombacha do armário e afiar o sotaque. Começa na próxima quarta-feira, em São José, um dos rodeios mais antigos do Brasil: o 42° Rodeio Nacional e Festa Praiana, que pretende levar cerca de 50 mil pessoas ao CTG Os Praianos até domingo.

Só o número de participantes deve passar de mil, inscritos em diversas modalidades nos cinco dias do evento. A quantidade de animais também aumentou, dando menos "trabalho" para cada um. São 2,5 mil bois e cavalos apenas para as competições.

Cada dia do rodeio contará com o apoio de um pecuarista diferente da Grande Florianópolis, e nenhum boi ficará menos de quatro horas descansando entre uma laçada e outra.

- O mundo mudou, todos se importam com a saúde dos animais. As pessoas não querem vê-los sofrendo. O boi é bicho, mas tem alma sob o couro - explica o patrão (presidente) do CTG Os Praianos, Israel Cunha, citando uma canção do grupo nativista gaúcho Os Serranos.

Embora o rodeio seja o foco das atenções, há quem aproveite o evento para festar e até fazer compras. São 18 bandas e artistas, incluindo nomes de destaque na cena gauchesca como Tchê Barbaridade, Joca Martins e Chiquito e Bordoneio. Além disso, cinco barracas com artigos de montaria e uma ampla área de alimentação ficarão abertas ao público, o que inclui a churrascaria dentro do CTG.

Município tem longa relação com rodeios

- Nós nos tornamos uma referência no Brasil, todos os CTGs ficam de olho no que fazemos para repetir depois. Por isso, temos que dar o exemplo - conta Cunha.

O CTG Os Praianos foi fundado de maneira informal, em 1972, por gaúchos e descendentes moradores de São José. Sem apoio público, eles estruturaram galpões e espaços para laçadas por conta própria.

A relação do município com o rodeio, entretanto, é mais antiga. Dizem os relatos da época que, em 1845, Dom Pedro II e Dona Tereza Cristina visitavam cidades da Grande Florianópolis. Para impressionar o casal imperial, organizou-se um evento para mostrar as habilidades dos cavaleiros do Sul, já que a maioria dos rodeios até então eram formados apenas por peões das redondezas.

Homens do RS e da região serrana de SC se deslocaram a São José para se apresentar ao imperador e à esposa, incluindo atividades como laçadas e arremesso de boleadeiras; começava ali o primeiro rodeio organizado da história do país.

:: 42° Rodeio Nacional e Festa Praiana

De 30 de abril a 4 de maio

? Ingresso: R$ 10 por dia*

? Atrações campeiras: gineteada, laço e diversas provas

? Serviços: estacionamento para 2,4 mil carros, praça de alimentação, camping e venda de artigos de montaria

? Mais informações: www.ctgospraianos.com.br

*Cada ingresso dá direito a participar do sorteio de um carro 0 Km.

Colunistas