nsc

publicidade

Opostos

Rodrigo Faraco: a diferença entre expectativa e realidade na dupla da Capital

Colunista fala das estreias de Avaí e Figueirense

17/05/2016 - 04h40

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

O Avaí perdendo na primeira rodada trouxe alguma esperança ao seu torcedor de que possa haver uma melhora durante a Série B. O Figueirense empatando com a Ponte Preta em casa recebeu as primeiras críticas mais contundentes.É fácil entender este contraste, que pode parecer até incoerência. É tudo uma questão de expectativa. A que era depositada no Figueirense era a melhor possível. Havia uma grande confiança de que o time tinha se acertado e venceria em casa na primeira rodada do Brasileirão.

Leia outras colunas de Rodrigo Faraco na Hora

Há também o discurso da diretoria que não quer nem ouvir falar de lutar pra não cair neste ano. Então era natural que o resultado frustrante do domingo se transformasse em críticas. O Figueirense tem mesmo muito mais potencial do que está apresentando no momento e tem que ser cobrado por isto.

Expectativa ruim trouxe esperança no Avaí

A derrota do Avaí veio com esperanças ao torcedor. E também é fácil entender. Não havia nenhuma expectativa positiva depois do Catarinense, em que o time lutou pra não cair, e da eliminação precoce na Copa do Brasil. Tudo isso deixou uma impressão muito negativa. O torcedor deixou a Ressacada depois da eliminação diante do Bragantino falando em ¿time que vai lutar pra não cair na Série B¿. Então, a atuação em Salvador trouxe uma esperança, pois o Avaí perdeu, mas deu trabalho a um dos favoritos da Série B.

É claro que o Avaí ainda está longe de acertar e ser competitivo pra lutar por algo, mas o torcedor viu coisas positivas no time que não esperava ver e isso é que embala a esperança de possa haver um ajuste melhor e crescimento da equipe.

Destaques individuais

Nas cinco equipes do estado alguns jogadores foram destaques individuais na primeira rodada. Os dois que mais apareceram forma os goleiros Danilo, da Chapecoense, que fechou o gol contra o Inter, em Porto Alegre, e Agenor, do Joinville, que está na seleção da rodada de abertura da Série B.

Além deles, o garoto Gustavo, do Criciúma, vem chamando atenção pelos gols que começaram a aparecer. No Figueirense, os pontos positivos foram a certeza em Elicarlos, mais uma vez, e a boa presença no meio de campo de Jocinei. No Avaí, o garoto Jajá confirmou que pode ser um dos nomes para a temporada e Vinícius Pacheco chamou a responsabilidade.

Nereu de volta

Ele é o ex-presidente mais em atividade do futebol catarinense. Nereu Martinelli nunca se afastou do JEC, mesmo tendo passado a presidência. Agora é quase certa a sua volta como vice de futebol, para trabalhar na reconstrução do time para a Série B. Foi ele também que referendou e preparou a chegada de Júlio Rondinelli para o departamento de futebol. Então está tudo em casa e o Joinville deve sentir pouco a saída de João Carlos Maringá.

Deixe seu comentário:

publicidade