nsc
    dc

    Lausana

    Rússia espera fim da suspensão de agência antidoping em novembro

    13/03/2017 - 10h33 - Atualizada em: 13/03/2017 - 11h28

    Compartilhe

    AFP
    Por AFP

    A Rússia espera que sua agência antidoping, a Rusada, suspensa desde 2015, será novamente declarada seguidora das normas "em novembro", declarou nesta segunda-feira o ministro russo dos Esportes, Pavel Kolobklov, enquanto o presidente da Agência Mundial Antidoping (Wada) afirma que "ainda falta muito a fazer".

    A Wada "aceitou o plano que visa recolocar a Rusada na conformidade com o código mundial antidoping", declarou Kolobkov, durante congresso da Wada, em Lausana, na Suíça.

    "Alguns critérios já foram atingidos e estamos trabalhando para que a integralidade desses critérios seja respeitada", completou.

    "O objetivo é obter uma conformidade provisória em maio e a Rusada espera obter sua autorização em novembro", continuou o sucessor de Vitali Mutko.

    "Triplicamos o orçamento da Rusada e colocamos o laboratório antidoping sob controle da Universidade de Moscou, e não mais sob ordens do Ministério dos Esportes", explicou Kolobkov.

    O presidente da Wada, Craig Reedie, havia afirmando mais cedo que a Rusada, suspensa desde 2015, ainda tinha "muito o que fazer" para que a suspensão fosse retirada.

    - 'Restaurar a conformidade' -

    Mesmo se "progressos foram feitos", a Rusada "precisa mostrar que os processos em ação são autônomos e independentes de toda ingerência exterior", completou Reedie.

    "Continuamos nosso trabalho afim de restaurar a conformidade da agência antidoping russa. Temos desde março de 2016 dois especialistas em Moscou, no intuito de garantir essa independência", explicou o presidente da Wada.

    A Wada declarou a Rusada "não-conforme" em novembro 2015, com base no relatório independente sobre o doping no atletismo russo redigido pelo ex-presidente da Wada, Dick Pound, que desvendou um esquema em que a agência antidoping russa ajuda a esconder casos de doping envolvendo atletas russos.

    O relatório do professor canadense Richard McLaren, encomendado pela Wada, em seguida comprovou o envolvimento do Estado russo, o que resultou na exclusão de atletas russos dos Jogos Olímpicos do Rio-2016 e na suspensão da Rússia da Federação Internacional de Atletismo (Iaaf).

    Kolobkov, ex-campeão olímpico de esgrima, sucedeu no cargo de ministro dos Esportes a Vitali Mutko, que também é presidente do comitê de organização da Copa do Mundo de futebol-2018 e vice-primeiro-ministro da Rússia desde outubro de 2016.

    Mutko faz parte dos responsáveis russos citados no relatório McLaren pelo envolvimento no grande escândalo de doping de Estado na Rússia entre 2011 e 2015, incluindo nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, em 2014.

    ebe/dmk/am

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas