nsc
dc

publicidade

Eleições

Saiba os cuidados necessários ao postar conteúdos com opiniões políticas nas redes sociais

Durante a campanha, usuários devem resistir à falsa liberdade da internet e conter o impulso de manifestar opiniões que jamais expressariam cara a cara na vida real

01/09/2014 - 05h41 - Atualizada em: 01/09/2014 - 13h26

Compartilhe

Por Redação NSC

Em período eleitoral, as redes sociais se transformam em campo de batalha e debate partidário. Embora haja uma sensação de liberdade, especialistas ressaltam que os usuários devem ficar atentos às consequências de algumas postagens e comentários, que podem inclusive influenciar os resultados das eleições.

Celso Figueiredo, doutor em Comunicação e Semiótica e professor de mídias sociais da Universidade Presbiteriana Mackenzie, diz que as redes sociais proporcionam a sensação de proteção de quem interage pelo fato de não se relacionar fisicamente.

- Essa sensação de liberdade absoluta faz com que muita gente poste coisas que jamais diria. As redes sociais se tornam um veículo de fluxo das emoções, então o debate ocorre com um viés de de paixão, não é assentado no racional.

Internet é uma vitrine permanente

Por mais que a sensação seja de que a internet é um ambiente intangível por ser virtual e que a pessoa associe isso a algo que se perde, é o oposto que ocorre:

- Uma vez postada, aquela mensagem pode sempre ser localizada e retomada, gerando mal-estar. Minha dica é sempre respirar antes de apertar o botão do enter.

Para André Lemos, doutor em sociologia e professor da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (UFBA), os limites para as postagens são os mesmos da civilidade de um modo geral.

- Estamos em uma arena pública virtual, um espaço público, portanto. As redes sociais são lugar de conversação e de troca de impressões sobre os mais diversos assuntos da vida social - explica.

Ele ressalta que os algoritmos do próprio sistema não são neutros, já que o sistema monitora aquilo que você curte e depois indica coisas próximas ao seu gosto. Então para o especialista um dos itens mais importantes na hora de usar o Facebook é ter consciência de que aquilo que se curte é um disparador daquilo que veremos, ou seja, é uma espécie de curadoria sobre o que vai aparecer depois.

Como manifestações virtuais influenciam

A LikeTell, empresa de inteligência em mídias sociais de Florianópolis, realizou o monitoramento das redes sociais de quatro candidatos ao governo de Santa Catarina. Paulo Bauer (PSDB) lidera a lista de pessoas que estão falando sobre os temas publicados. Claudio Vignatti (PT) lidera o número de postagens. Já Raimundo Colombo (PSD), apesar de ser o terceiro que mais publica, tem mais curtidores e maior média por postagem de comentários, compartilhamentos e curtidas.

Especialistas também garantem que as redes sociais podem influenciar nos votos e até nos resultados das eleições. Para o doutor em Comunicação e Semiótica, Celso Figueiredo, as redes sociais são importantes para a construção de opinião do eleitorado e os usuários que replicam informações de candidatos, por exemplo, auxiliam nesse processo.

Candidatos desconhecem os potenciais da internet

Raquel Comin, diretora da LikeTell, empresa de inteligência em mídias sociais de Florianópolis, acredita que as redes ainda não recebem a atenção merecida durante as eleições. Para ela, os candidatos costumam dedicar-se ao horário político e às campanhas físicas, esquecendo os eleitores do meio digital.

- A estratégia deveria incentivar o engajamento. Existem várias formas de fazer isso, mas candidatos insistem em usar postagens no estilo propaganda de imagem.

Impacto das redes

Como o Facebook impacta ao disseminar mensagens políticas:

O especialista

- André Lemos, doutor em sociologia e professor da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia, ressalta que os algoritmos do próprio sistema não são neutros, pois a rede monitora o que você curte e depois indica assuntos relacionados ao seu gosto

- Então, um dos atributos mais importantes ao usar o Facebook é ter consciência: o que se curte é um disparador do que veremos, ou seja, uma espécie de curadoria sobre o que aparecerá depois

O facebook

- Procurado pelo DC, a assessoria do Facebook se pronunciou, em nota, justificando que a rede age sobre conteúdo denunciado e que esteja em desacordo com suas políticas e termos - Remover conteúdo, eleitoral ou não, depende de ordem judicial - A empresa diz estar preparada 24h para atender à Justiça Eleitoral e analisar conteúdos denunciados por meio do site. Para entender políticas e termos acesse: facebook.com/communitystandards

Deixe seu comentário:

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade