nsc
    dc

    Transmissão

    São Paulo investiga 4 mortes suspeitas de infecção por coronavírus

    Casos ocorreram na mesma rede de hospital onde morreu primeira vítima 

    17/03/2020 - 16h04

    Compartilhe

    Por Agência Brasil
    São Paulo registrou primeira morte por coronavírus
    São Paulo registrou primeira morte por coronavírus
    (Foto: )

    Quatro óbitos estão sendo investigados em São Paulo por suspeita de infecção pelo novo coronavírus, Covid-19. A informação é do secretário de Saúde estadual de São Paulo, José Henrique Germann, e do infectologista David Uip, coordenador do Comitê de Contingência do Coronavírus em São Paulo. Nesta terça-feira foi confirmado a primeira morte foi coronavírus foi confirmado.

    ​> Em site especial, saiba tudo sobre coronavírus

    Segundo o infectologista, os quatro óbitos foram registrados na mesma rede de um hospital privado de São Paulo, que tem várias unidades. Trata-se do hospital onde foi confirmado o primeiro óbito pela Covid-19 no país, de um homem de 62 anos, morador de São Paulo, que tinha diabetes e hipertensão e sem histórico de viagem. Esse paciente começou a sentir sintomas no dia 10 de março, foi internado no dia 14 e faleceu ontem (16).

    - Foi uma evolução rápida, da internação ao óbito - falou Uip.

    De acordo com Paulo Menezes, coordenador do Comitê de Operações de Emergências de São Paulo, até este momento foram confirmados 162 casos de coronavírus em todo o estado paulista, sendo 154 deles na capital e o restante em oito municípios da Grande São Paulo.

    O infectologista David Uip disse que vai sugerir, ao Ministério da Saúde, que mude o critério de tempo de quarentena, de 14 para 10 dias, pois especialistas têm detectado que, no Brasil, o período de incubação têm sido mais curto.

    - O que a gente imaginava, que o período de incubação ia até 14 dias, estamos vendo que o período de incubação é mais curto. A média é de três a oito dias”, disse Uip. “Isso faz toda a diferença no impacto da força de trabalho, especialmente da saúde - reforçou ele.

    Outra ponto observado por especialistas em São Paulo foi que a gravidade da doença nos pacientes se estabelece entre o terceiro e o sétimo dia:

    - O indivíduo manifesta os sintomas e depois a gravidade. O que não quer dizer que ele não terá condições de se recuperar. Doente grave é uma coisa; óbito, outra. A grande maioria dos pacientes graves vai se recuperar - disse Uip.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas