publicidade

Esportes
Navegue por

Nada de gols em Salvador

Seleção Brasileira só empata com a Venezuela pela Copa América

Brasil teve dois gols anulados pelo VAR e ficou no 0 a 0 com os venezuelanos na Arena Fonte Nova

18/06/2019 - 23h32 - Atualizada em: 19/06/2019 - 07h21

Compartilhe

Por GaúchaZH
Brasil x Venezuela
Seleção de Tite deixou de garantir a classificação antecipada no Grupo A da Copa América
(Foto: )

*Por Luã Hernandez

Não foi como se esperava. Com três gols anulados, o Brasil ficou no 0 a 0 com a Venezuela na noite desta terça-feira (18), na Arena Fonte Nova, e deixou de garantir a classificação antecipada no Grupo A da Copa América. Com quatro pontos, a Seleção de Tite supera o Peru no saldo de gols e vai para a última rodada precisando ao menos de um empate para avançar às quartas de final.

Para o duelo contra a "Vinho Tinto", a Seleção teve o retorno de Arthur ao meio-campo, na vaga que na estreia foi ocupada por Fernandinho. Já a Venezuela promoveu a entrada de Osorio no lugar de Chancellor, na zaga, o ingresso de Hernández na esquerda, no lugar de Mago, expulso no duelo contra o Peru, e Machís na função que foi de Savarino na primeira rodada.

O início da partida teve controle do Brasil, que assustou pela primeira vez aos dois minutos, com boa chegada em cruzamento rasteiro da esquerda, afastado pela defesa. E era assim que a equipe do técnico Tite tentava se aproximar do gol defendido por Fariñez: com jogadas pelas laterais e passes rasteiros para o meio da área.

A primeira finalização perigosa saiu apenas aos 14 minutos. Arthur deu um lindo passe para David Neres, aberto pela esquerda. Ele invadiu a área e finalizou com a perna esquerda para fora, à direita do gol. Em seguida, aos 16, Richarlison aproveitou uma saída de bola errada da Venezuela, entrou na área e chutou rasteiro. O goleiro adversário espalmou para escanteio, na segunda boa chegada no Brasil.

A esta altura, a Seleção de Tite tinha 80% da posse contra 20% da equipe venezuelana. Mas nada que impedisse o time comandado por Rafael Dudamel de assustar. Aos 19 minutos, Herrera cruzou, o centroavante Salomón Rondón subiu mais do que Marquinhos e mandou, de cabeça, para fora, há pouco centímetros da meta defendida por Alisson.

Embora mantivesse o domínio das ações ofensivas, o Brasil teve dificuldade para finalizar a gol. A Seleção tentava atacar pelos lados, com as dobradinhas de Daniel Alves e Richarlison pela direita e Filipe Luís e David Neres pela esquerda. Aos 37, o lateral-direito cruzou para a área, Firmino dominou e fez o gol. Mas o árbitro Julio Bascuñán assinalou falta do atacante brasileiro.

Nos minutos finais da etapa inicial, o Brasil tentou pressionar, mas o gol não saiu. Por isso, assim que o juiz terminou o primeiro tempo, a torcida deu início às vaias à Seleção.

Para o segundo tempo, Tite tirou Richarlison e mandou a campo Gabriel Jesus. Assim, inverteu o lado dos extremas: passou o jogador do Ajax para a direita e colocou o atacante do Manchester City na esquerda. E por ali Jesus fazia uma grande jogada aos quatro minutos, entrando na área adversário a dribles. A bola escapou e sobrou para David Neres, que mandou uma bomba no rosto do zagueiro Osorio, da Venezuela.

Aos 11 minutos, o técnico da Seleção Brasileira chamou Fernandinho. Enquanto dava as orientações aos volante, a torcida vaiava a escolha de Tite e Gabriel Jesus chutava para fora, com perigo. O escolhido para sair foi Casemiro, que já tinha cartão amarelo e não estava aparecendo no campo ofensivo.

Aos 14 minutos o Brasil até marcou, mas o árbitro anulou. Desta vez, por impedimento. Gabriel Jesus fez boa jogada pela esquerda e tocou para Coutinho, que chutou a gol. A bola desviou no zagueiro venezuelano e sobrou para Firmino, em posição irregular. Ele bateu e, no rebote, Gabriel Jesus botou para dentro. Julio Bascuñán foi até a tela do VAR e, depois de analisar o vídeo do lance, invalidou o segundo gol brasileiro.

A partir daí, a torcida começou a pedir pela entrada de Everton em campo. "Ah, é Cebolinha", gritavam os quase 40 mil torcedores na Arena Fonte Nova, esperançosos de que o jogador do Grêmio fizesse algo parecido com aquilo que fez contra a Bolívia.

E Tite atendeu ao pedido. Chamou o atacante, que ingressou no lugar de David Neres em campo. Inicialmente pela direita, o atacante gremista tentou o que a Seleção já vinha fazendo: cruzamentos rasteiros para a área. Não deu certo, e o treinador o mandou para a esquerda.

Na primeira chance que teve, mandou longe do gol. Na segunda, fez uma grande jogada, passando por quatro adversários, invadiu a área pelo lado esquerdo e finalizou para a defesa de Fariñez. No rebote, a bola sobrou para Coutinho empurrar para dentro. O problema foi que a bola desviou em Firmino, que estava impedido. Com o auxílio do VAR, mais um gol brasileiro foi anulado.

No fim, o empate deixa tudo para a última rodada, quando os líderes do grupo se enfrentam às 16h de sábado, na Arena Corinthians, para decidir quem avança às quartas de final.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação