nsc
an

Funcionários

Senado afasta servidores pelo pagamento de horas extras indevidas 

Segundo o presidente da Casa, Renan Calheiros, gasto com horas extras reduziu de R$ 69,7 milhões em 2010 para R$ 4,7 milhões em 2014

02/03/2016 - 18h46

Compartilhe

Por Agência Brasil
(Foto: )

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), comunicou nesta quarta-feira que a diretoria da Casa observou "impropriedades" no pagamento de horas extras e determinou o afastamento de servidores envolvidos na questão. Renan informou que será aberta sindicância para apurar a exata participação e responsabilidade de cada um dos envolvidos.

— E vamos a todas as instâncias a fim de reparar eventuais prejuízos ao Senado Federal — afirmou o senador.

Leia mais

Comissão da Agenda Brasil aprova projetos que beneficiam estados e municípios

Tribunal de Justiça concede liminar que impede condução coercitiva de Lula

Cunha anuncia que votação do teto do funcionalismo será adiada

Ele determinou à Diretoria-Geral do Senado que providencie o ressarcimento dos valores pelos servidores que não tinham amparo para receber horas extraordinárias, assim como diretores, coordenadores e diretores adjuntos.

— Também daremos publicidade de todos os servidores que receberam horas extras atípicas e sem amparo legal.

Renan ressaltou que o país vive um momento de crise e garantiu que "o Senado continuará se pautando pela diminuição e fiscalização dos seus gastos, assim como pela transparência destes". Segundo o senador, a Casa conseguiu reduzir o pagamento de horas extras de R$ 69,7 milhões em 2010 para R$ 4,7 milhões em 2014 "sem prejuízo das atividades".

Leia todas as notícias sobre política

Colunistas