nsc
    dc

    Mudanças na aposentadoria 

    Senado conclui votação da reforma da Previdência em primeiro turno

    Parlamentares aprovaram apenas o destaque que derruba nova regra para o trabalhador ter acesso ao abono salarial

    02/10/2019 - 15h26 - Atualizada em: 02/10/2019 - 15h43

    Compartilhe

    Por GaúchaZH
    Senadores rejeitaram destaques ao texto em sessão nesta quarta-feira
    (Foto: )

    Ao encerrar a análise dos destaques ao texto-base, na tarde desta quarta-feira (2), o Senado concluiu a votação da reforma da Previdência em primeiro turno. O único destaque aprovado pelos parlamentares, na sessão encerrada na madrugada, derrubou a alteração na regra do abono salarial, diminuindo a economia prevista pelo governo de Jair Bolsonaro.

    O texto da Câmara restringia o benefício aos trabalhadores que recebem salário de até R$ 1.364,43 por mês. Com a retirada desse ponto do texto, os critérios atuais, que concedem o abono para quem recebe até dois salários mínimos, devem seguir valendo.

    Pontos principais da proposta, como a idade mínima e tempo de contribuição, não foram alterados na passagem da matéria pelo Senado.

    Ao não incluir ou modificar trechos, o Senado impede a volta do texto principal à Câmara dos Deputados. Os senadores apenas suprimiram partes da proposta, o que garante o andamento do projeto, que precisa ser votado em segundo turno na Casa antes de ser promulgado.

    Após a aprovação em primeiro turno, a PEC precisará passar por três sessões de discussão antes de ser apreciada em segundo turno.

    Principais mudanças no Senado

    Abono salarial

    O texto aprovado na Câmara previa o benefício apenas aos trabalhadores que recebem até R$ 1.364,43 mensalmente. O senado derrubou esse dispositivo, por meio de destaque, mantendo a regra atual, que concede o abono para quem recebe até dois salários mínimos (R$ 1.996 em 2019).

    Impacto: reduz economia da reforma da Previdência em R$ 76,4 bilhões.

    Pensão por morte

    O texto aprovado na Câmara limitava o valor do benefício a 50% do que recebia o falecido, mais 10% por dependente. O dispositivo abria caminho para pagamentos inferiores ao salário mínimo. O texto do Senado cria um piso de um salário mínimo para o benefício.

    Impacto: menos R$ 10 bilhões em 10 anos.

    Trabalhadores informais

    O texto do Senado incluiu os trabalhadores informais entre os funcionários de baixa renda, com direito ao sistema especial de Previdência. O impacto financeiro da medida não foi estimado.

    Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Política

    Colunistas