nsc

publicidade

Greve

Servidores federais fazem manifestação nas ruas centrais de Blumenau

Trabalhadores da Saúde e Previdência do Serviço Público Federal no Estado de Santa Catarina pedem melhores condições de trabalho

18/08/2015 - 08h56 - Atualizada em: 19/08/2015 - 10h48

Compartilhe

Por Redação NSC

Servidores públicos federais da Saúde e Previdência de diversas partes do Estado fizeram uma manifestação pelas ruas de Blumenau para pedir melhores condições de trabalho para a categoria. Caravanas de Florianópolis, Ibirama, Itajaí, Timbó, Indaial, Rio do Sul e de outras cidades do estado se reuniram em frente à Catedral São Paulo Apóstolo às 9h e seguiram em direção à agência do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).

::: Leia mais notícias do Vale do Itajaí

Cerca de 200 trabalhadores estavam presentes no protesto. Às 13h30min, os representantes devem se reunir em frente ao Instituto Federal Catarinense (IFC) na BR-470. O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência do Serviço Público Federal no Estado de Santa Catarina (Sindprevs) representa os servidores ativos, aposentados e pensionistas do INSS, do Ministério da Saúde e da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Juliana Policarpo, funcionária do INSS de Ibirama e diretora de base do Sindprevs, explica que a principal reivindicação é melhorar a condição de trabalho do servidor. Segundo ela, o déficit de funcionários da categoria e o descontentamento com o reajuste salarial estão na pauta do sindicato, que está em greve desde o fim de junho no Estado:

- No Brasil há um déficit de mais de 15 mil servidores na categoria. Precisamos de mais gente trabalhando para garantir um melhor atendimento à população, que muitas vezes espera até três horas para ser atendido no INSS.

A greve foi votada em assembleia estadual geral em Florianópolis em 26 de junho e em Brasília a decisão foi tomada no dia 7 de julho em Plenária Nacional Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps).

Deixe seu comentário:

publicidade