nsc
dc

Saúde

Setembro tem aumento de 36% nos casos de gripe em Santa Catarina

Crescimento também é notado no número de mortes: 57 pessoas foram vítimas da Influenza, apenas uma a menos que em 2018, de acordo com a Dive/SC 

24/09/2019 - 13h20 - Atualizada em: 25/09/2019 - 09h58

Compartilhe

Por Camila Levien
(Foto: )

O número de casos de gripe em setembro em Santa Catarina já superou o registrado no mesmo mês de 2018. Até o dia 20 de setembro, foram 30 ocorrências no Estado, enquanto no ano passado o valor foi de 22, um aumento de 36%. As informações foram divulgadas nesta terça-feira (24) pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado (Dive/SC).

Desde o início do ano, foram confirmados 452 casos de influenza em Santa Catarina. Destes, 350 pelo vírus H1N1, 51 pelo vírus A H3N2, 33 pelo vírus Influenza B, 17 em análise de subtipo e uma encerrada por vínculo epidemiológico. São 18 registros a mais do que na semana anterior.

Os municípios com mais casos confirmados foram Florianópolis (44), Chapecó (33), Blumenau (32), Joinville (26) e Balneário Camboriú (19).

Veja no mapa os casos confirmados da influenza por município:

(Foto: )

Mortes

No período de sete dias, dois óbitos foram confirmados. O espaço de tempo é referente ao intervalo entre as divulgações entre os relatórios da Dive/SC. Até o dia 20 de setembro, 57 pessoas morreram pela doença em SC. Com mais uma vítima da doença, o Estado atinge o mesmo número de ocorrências contabilizadas em todo o ano passado. Entre os casos, são 48 pelo subtipo H1N1, cinco por H3N2, um por influenza B, dois sem subtipos e um encerrado por vínculo epidemiológico por ter tido contato com duas pessoas laboratorialmente confirmadas com influenza.

Doença e prevenção

A Dive-SC recomenda que a população procure o posto de saúde mais perto de casa aos primeiros sintomas da gripe. São eles: febre alta e dores musculares, de garganta, cabeça, coriza e tosse seca. O órgão ressalta que a febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias. Nesse caso, o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível para que seja reduzida a duração dos sintomas e, principalmente, impedir a ocorrência de complicações.

Segundo a diretoria, apesar de o vírus Influenza intensificar-se no período de maio a agosto (inverno), ele circula todos os meses do ano. Portanto, devem ser reforçadas as medidas de prevenção, principalmente lavar as mãos com frequência e evitar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas. Para diminuir os riscos de contrair gripe, recomenda-se:

- Lavar as mãos com frequência, principalmente antes de comer;

- Usar lenço descartável ao tossir, espirrar ou assoar o nariz;

- Se não tiver lenço, cobrir a boca e o nariz com o antebraço quando espirrar ou tossir;

- Evitar tocar olhos, nariz e boca;

- Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

- Beber bastante água;

- Evitar aglomerações;

- Manter ambientes bem ventilados;

- Evitar contato próximo com pessoas que apresentem sintomas da gripe.

Colunistas