nsc

publicidade

Tecnologia do bem

Soluções tecnológicas desenvolvidas em SC auxiliam na preservação ambiental

Plantio de árvores pela internet, aplicativo para descartar eletrônicos e lixeira inteligente são algumas das opções para quem ajudar o planeta sem sair de casa

15/01/2014 - 07h26 - Atualizada em: 15/01/2014 - 07h30

Compartilhe

Por Redação NSC
Guilherme Quandt afirma que a expectativa é atingir 11 mil mudas plantadas em 2014
Guilherme Quandt afirma que a expectativa é atingir 11 mil mudas plantadas em 2014
(Foto: )

Economizar água, reciclar lixo e plantar uma árvore. Com a ajuda da tecnologia, essas ações estão mais simples e rápidas. Plantar uma árvore é uma delas. Não é mais necessário comprar uma muda, escolher o local e plantá-la, basta alguns cliques e tudo está resolvido. Essa é a proposta da startup Curupira, de Joinville.

Em março de 2013, eles lançaram um portal para quem quer plantar árvores reais sem sair de casa. Funciona da seguinte maneira: pessoas físicas ou jurídicas pagam uma taxa para adquirir as árvores que serão plantadas em áreas de degradação. Depois, elas recebem fotos de satélite e individual da muda para acompanhar o crescimento. A startup garante a preservação da espécie por 10 anos. O valor de cada árvore é de R$ 40, mas para empresas pode ficar mais barato.

- O grande diferencial do Curupira é a tecnologia porque 100% das árvores são identificadas. Assim é possível fazer o acompanhamento - avalia Guilherme Quandt, diretor-executivo da Curupira.

Já foram vendidas mais de 1,3 mil mudas. Mas a expectativa é atingir 11 mil em 2014. Conforme Quandt, há também planos de desenvolver um aplicativo para facilitar o acompanhamento. Outra meta é descentralizar o plantio, atualmente concentrado no Mato Grosso, local escolhido pela abundância de terras.

Lixeira inteligente para descarte adequado

Outra empresa que alia tecnologia à sustentabilidade é a Ekoimpacto, de Florianópolis. Uma das soluções desenvolvidas é a Ekobin, uma lixeira eletrônica inteligente que, além de acondicionar o resíduo de forma adequada, pesa o seu conteúdo e disponibiliza informações do local onde se encontra e o tipo de material armazenado através de um software.

- Com ela é possível saber em tempo real quanto estão gerando de resíduos e quanto já foi destinado adequadamente - explica Alceu Medeiros, coordenador de desenvolvimento da Ekobin.

Ele diz que já foi feita uma operação-piloto e atualmente estuda como fazer o produto em escala.

Outra iniciativa é o aplicativo Wasty. Criado pela empresa Live iDeas , de Florianópolis, o app irá auxiliar no descarte adequado de aparelhos eletrônicos. A partir de abril também vai oferecer um canal de comunicação entre clientes e fabricantes, conexão com redes sociais das indústrias e sistema para identificar outras empresas que fazem o processamento desses aparelhos.

Deixe seu comentário:

publicidade