nsc
dc

Causa animal

Sul de Santa Catarina investe em projetos de causas animais  

Criciúma inspira outras cidades catarinenses com ações de castração, adoção e até microchips nos bichinhos

20/06/2019 - 10h33 - Atualizada em: 20/06/2019 - 10h34

Compartilhe

Por Redação NSC
A proposta é que haja diminuição de animais em situação de rua
(Foto: )

Com dois meses de projeto em funcionamento, o Núcleo de Bem-Estar de Criciúma já castrou cerca de 1.050 animais, uma vez que realiza desde o tratamento de doenças, castração, até a adoção dos animais de rua. As informações são da NSC TV.

A previsão é que até o fim deste ano sejam castrados 3.000 bichinhos - número que não atende à necessidade total, já que Criciúma, no Sul do Estado, tem cerca de 5.000 bichos em situação de abandono, que vivem nas ruas.

A novidade

Agora, com a implantação dos microchips nos bichos, o coordenador do Núcleo, Elias Santos Pereira, diz que o objetivo principal é dar uma identidade para cada animal, fazendo com que eles passem a ser "animais comunitários" e sejam monitorados.

Projeto inspira outras cidades

A prefeitura de Cocal do Sul, por exemplo, leva como espelho a iniciativa de Criciúma. A vice-prefeita da cidade, Cirlene Gonçalves Scarpato, explica que a intenção é castrar 30 animais de rua por mês:

— Com isso a gente vai estar castrando, até fim do ano, mais de 200 animais de rua. A gente acredita que é um número bastante significativo para a diminuição da natalidade, que gera muitos abandonos — explica.

Em Cocal, os animais também terão um chip e estarão sendo monitorados.

Angela Maria Mendes, voluntária da ONG Patas e Pegadas, explica que além da castração, a conscientização das pessoas é um ponto essencial:

— A pessoa que abandona é inconsequente. Muitas vezes adotam-se animais nas feirinhas, quando ele é pequeninho e bonitinho. Mas depois ele cresce, necessita de comida, atenção, medicação e cuidados, demandando tempo de cada dono. Isso leva, muitas vezes, ao abandono.

Denúncias

Denúncias podem ser feitas através do setor da Ouvidoria da prefeitura, pelo telefone 156. Já o tutor que comprove hipossuficiência de renda, pode levar o animal para castração mediante agendamento no núcleo.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Cotidiano

Colunistas