nsc
    dc

    Doença

    Surto de sarampo: Santa Catarina fecha 2019 com 276 casos confirmados

    35 novos casos foram identificados na última semana de dezembro. Joinville é a cidade com mais pacientes em SC

    08/01/2020 - 15h52 - Atualizada em: 08/01/2020 - 15h57

    Compartilhe

    Lucas
    Por Lucas Paraizo
    Vacina sarampo
    Vacina é a única prevenção segura contra o sarampo
    (Foto: )

    A Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina divulgou nesta quarta-feira (8) um novo boletim em relação ao surto de sarampo no Estado. Com os resultados até o dia 29 de dezembro, o número de casos confirmados em SC passou de 241 para 276, com outras 58 pessoas ainda aguardando exame de confirmação da suspeita de sarampo.

    O número segue no salto de novos casos de sarampo em Santa Catarina nos últimos meses de 2019, com quase 100 confirmações somente no mês de dezembro.

    A cidade com mais casos confirmados segue sendo Joinville, com 123 pacientes infectados. Na sequência estão as cidades de Florianópolis (38), Concórdia (18), Jaraguá do Sul (13), Canoinhas (11), Porto União (9), Palhoça (7), São José (7), São Bento do Sul (4), Peritiba (4), Tubarão (4), Barra Velha (3), Seara (3), Araquari (3), Governador Celso Ramos (2), São Francisco do Sul (2), Guaramirim (2) e Monte Castelo (2). Outras 18 cidades registraram um caso no ano inteiro.

    Segundo a Dive-SC, a maioria dos casos confirmados de sarampo ocorreram em adultos com idade entre 20 e 29 anos, seguidos pelos jovens entre 15 e 19. Todos os casos são considerados importados, pois as evidências apontam que foram adquiridos fora do Estado de Santa Catarina ou a partir do contato com pessoas de outras regiões com surto da doença.

    O sarampo é provocado por um vírus que se espalha pelo ar através de respiração, tosse ou espirros e tem como sintomas a febre alta, a coriza, a tosse, os olhos avermelhados, além de manchas vermelhas no corpo.

    Prevenção

    A única forma segura de prevenção contra o sarampo é a vacina. A Dive-SC recomenda procurar os postos de saúde para receber as doses da vacina, para quem ainda não vacinou, ou para verificar se já é imunizado. É importante ter em mãos a carteira de vacinação.

    A vacina é feita em pessoas de 6 meses a 49 anos. Nas crianças, a primeira dose deve ser tomada aos 12 meses e a segunda, aos 15 meses. Quem toma as duas doses fica protegido por toda a vida. Bebês também devem tomar a chamada "dose zero", aos 6 meses de idade.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas