nsc
santa

Crime

Suspeita de matar e enterrar pai no quintal em São João Batista é presa no Rio Grande do Sul

Crime foi descoberto em março após denúncias de outros membros da família

19/09/2017 - 12h32 - Atualizada em: 19/09/2017 - 12h36

Compartilhe

Por Redação NSC
Mulher acusada de matar e enterrar o corpo do pai no quintal em São João Batista é presa em Sapiranga (RS)
Mulher acusada de matar e enterrar o corpo do pai no quintal em São João Batista é presa em Sapiranga (RS)
(Foto: )

Uma mulher de 34 anos suspeita de matar e enterrar o pai, de 64, no quintal de casa em São João Batista foi presa nesta segunda-feira em Sapiranga, região metropolitana de Porto Alegre (RS). De acordo com informações da Polícia Civil catarinense o crime foi denunciado em março deste ano por outros membros da família.

Segundo o delegado Vinicius Benedet Brandão, que coordenou as investigações, os familiares que fizeram a denúncia informaram que o pai estava desaparecido. Eles ainda contaram à polícia sobre a desconfiança de que ele estaria morto e enterrado no terreno da casa onde vivia, devido ao mau cheiro que existia no quintal da residência e que piorava com o passar dos dias.

Após algumas buscas, os investigadores localizaram uma ossada humana no local indicado. O material foi recolhido e encaminhado ao Instituto Geral de Perícias, onde um exame de DNA confirmou que os restos mortais eram do homem desaparecido.

A partir do resultado, a polícia passou a investigar a morte da vítima e concluíram que ele teria sido assassinado pela filha — que durante as investigações se mudou para o município gaúcho onde foi presa. A polícia concluiu ainda que, após matar o pai, ela teria enterrado o corpo no quintal da casa onde ele morava.

A motivação do crime seriam desavenças familiares, segundo Brandão. A mulher teria dito aos policiais que a relação da família sempre foi difícil, que o pai teria problemas com álcool e que teria cometido abusos contra ela e outros familiares na infância, sem detalhar como seriam essas ocorrências.

Com a conclusão das investigações, os policiais localizaram a mulher, que foi presa na tarde desta segunda-feira e levada para a delegacia de São João Batista. Ele teve a prisão temporária determinada e já foi encaminhada ao Presídio Regional de Tijucas, onde vai permanecer por pelo menos 30 dias. Ela deve responder pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver. A prisão foi feita pelos agentes de São João Batista com o apoio da Polícia Civil de Sapiranga. As identidades da vítima e da suspeita não foram divulgadas a pedido da família.

Colunistas