nsc

publicidade

Crime

Suspeito preso por assassinato de mãe e filha em Blumenau era vizinho das vítimas

Anderson Tadashi Nakamura, de 27 anos, foi encontrado em Lages, na Serra Catarinense

22/05/2019 - 09h00 - Atualizada em: 22/05/2019 - 17h03

Compartilhe

Adriano
Por Adriano Lins
Talita
Por Talita Catie
Autor do crime foi preso em Lages, no Planalto Serrano.

O suspeito de matar mãe e filha no Tribess, em Blumenau, em abril do ano passado, era vizinho das vítimas. A informação foi confirmada na manhã desta quarta-feira (22), quando a Polícia Civil deu detalhes a respeito da investigação que levou à prisão de Anderson Tadashi Nakamura.

O crime, até então sem resposta, na avaliação dos investigadores, está solucionado. De acordo com o delegado Douglas Barroco, os assassinatos foram motivados após uma discussão, que iniciou quando o suspeito foi até à casa Inês do Amaral, 57 anos, pedir por trabalho, para ajudar no pagamento de aluguel. Conforme a polícia, após matar Inês, ele ficou na residência até a chegada da filha dela, Franciele Will, 30 anos, e a matou com golpes de faca.

Em coletiva na Delegacia Regional de Polícia de Blumenau, o delegado Egídio Maciel Ferrari contou os detalhes do crime e o que teria motivado o assassinato no dia 4 de abril de 2018, na residência delas, no bairro Tribess.

– O suspeito era próximo da família, inclusive fazia trabalhos domésticos para a Inês - conta o delegado Egídio.

Na chegada à Delegacia Regional, o suspeito admitiu ter cometido o crime e disse estar arrependido.

– Xingaram minha família, mas estou arrependido e agora vou pagar pelo crime – disse Anderson, que teve a prisão preventiva decretada pela Justiça e foi encaminhado ao Presídio Regional de Blumenau.

­
(Foto: )

Relembre o caso

Inês do Amaral, 57 anos, e Franciele Will, 30 anos, foram mortas dentro da própria casa onde moravam. Os peritos não encontraram sinais de arrombamento, apenas o carro da família foi levado do local.

Conforme a polícia, Francielle apresentava cortes nos pescoço, sinais de agressão e também perfurações de faca no tórax. Já a mãe, Inês, teria sido morta por asfixia.

A polícia também informou que Inês foi morta com um espaço de tempo de cerca de quatro horas antes da filha. A suspeita é de que o autor tenha entrado na casa, sem fazer alarde, e cometido o primeiro assassinato.

O veículo de Inês do Amaral foi localizado pela Polícia Civil na manhã seguinte na Rua Nossa Senhora de Fátima, no bairro Itoupava Norte. Apesar do autor ter levado o veículo da vítima na fuga, a hipótese de latrocínio foi descartada pela polícia logo no início do inquérito, já que nenhum outro pertence foi roubado da casa. Desde lá, a hipótese é de duplo homicídio.

Entrevista coletiva

Confira a entrevista coletiva que ocorreu na manhã desta quarta-feira na Delegacia Regional de Blumenau.

Assine o NSC Total para ter acesso ilimitado ao portal, ler as edições digitais do DC, AN e Santa e aproveitar os descontos do Clube NSC. Acesse assinensc.com.br e faça sua assinatura.

Deixe seu comentário:

publicidade