nsc
dc

Fronteira

Suspensa imigração na aduana de Paraíso, no Oeste de SC

Movimento superou 20 mil pessoas em janeiro e fevereiro mas atualmente tinha apenas 30 pessoas por dia

28/06/2019 - 17h06 - Atualizada em: 28/06/2019 - 20h05

Compartilhe

Darci
Por Darci Debona
Aduana de Paraíso foi inaugurada em dezembro
Posto de imigração em Paraíso será desativado até o verão
(Foto: )

A Polícia Federal (PF) suspendeu na quinta-feira o serviço de imigração na aduana de Paraíso, no Oeste de Santa Catarina, que fica próximo da ponte sobre o rio Peperi-Guaçu, na fronteira com a Argentina.

O delegado da PF de Dionísio Cerqueira, Daniel Reschke, que é chefe da unidade que abrange também Paraíso, confirmou a suspensão.

— O motivo é o baixo movimento, 30 por dia em média. Mas retoma no verão — informou o delegado.

A aduana foi inaugurada em dezembro. Em janeiro foram registradas 24.511 entradas e saídas, e em fevereiro, 23.869. No verão muitos turistas argentinos entram em Santa Catarina pela fronteira, rumo ao litoral. Em Dionísio Cerqueira foram 32.642 mil em janeiro e 36.821 em fevereiro.

A passagem por Paraíso diminui em 130 quilômetros a distância entre Posadas, capital de Misiones, e Chapecó. Só que necessitava de pelo menos um efetivo de oito pessoas e, diante do pouco fluxo, a decisão foi por desativá-la temporariamente.

Nesse período quem entrar em Santa Catarina por Paraíso terá que se deslocar até Dionísio Cerqueira para fazer a imigração. No lado argentino, em San Pedro, a imigração continua sendo feita para quem sair do Brasil.

Ainda não é assinante? Faça sua assinatura do NSC Total para ter acesso ilimitado ao portal, ler as edições digitais dos jornais e aproveitar os descontos do Clube NSC.

Colunistas