A elaboração dos dois projetos de ferrovias para Santa Catarina entrou esta semana na fase de coleta de dados em campo. Agora, equipes das empresas contratadas devem ir até propriedades particulares em diversos pontos do interior do Estado, por onde os futuros trechos devem passar.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

Para que o estudo possa ser feito, os proprietários dos imóveis devem permitir o acesso dos pesquisadores, reforça o governo federal.

Em paralelo ao estudo geotécnico, as empresas estão fazendo o projeto geométrico e revisão da modelagem dos estudos hidrológicos. Após isso, as empresas devem finalizar os projetos.

Técnicos iniciam coletas em campo para projeto de ferrovias em Santa Catarina
Fase conta com apoio dos proprietários (Foto: SPAF, Divulgação)

Projetos de ferrovias

Santa Catarina tem dois projetos de ferrovias em desenvolvimento. Um deles prevê 319 quilômetros entre Chapecó, no Oeste, e Correia Pinto, na região Serrana. O outro, de 62 quilômetros, conectaria Navegantes e Araquari, ambas no Litoral Norte de Santa Catarina. O investimento do Estado é de cerca de R$ 32 milhões e a previsão de conclusão é novembro de 2024.

Continua depois da publicidade

No caso da ferrovia Chapecó-Correia Pinto, o projeto ainda é mais básico. No caso de Navegantes-Araquari, o projeto já é o executivo.

— Esta é uma etapa importante para a elaboração dos projetos. Com os estudos feitos até agora, com imagens aéreas mais precisas, as empresas já vêm apresentando resultados satisfatórios. Agora, o trabalho de campo vai trazer mais informações e para isso é fundamental o apoio dos proprietários dos imóveis para a realização deste trabalho — reforça o secretário de Portos, Aeroportos e Ferrovias (SPAF), Robison Coelho.

O que já foi feito

Até agora, as empresas já fizeram o levantamento topográfico, com uso de imagens aéreas e com o fechamento deste levantamento feito em terra. Agora, as sondagens devem determinar os tipos de solos, espessura, propriedades do solo em termos de resistência e nível do lençol freático.

— O objetivo desse trabalho é possibilitar a implantação da ferrovia. A coleta de dados em terra é fundamental para que os projetos sejam elaborados com informações precisas — acrescenta o diretor de Integração de Modais da SPAF, Ivan Amaral.

Continua depois da publicidade

Dúvidas sobre as abordagens dos técnicos que realizam as pesquisas para os projetos ferroviários podem ser obtidas junto à Gerência de Ferrovias (Gefer) pelo telefone (48) 99987-0214.

Leia também

SC abriu 62,6 mil empregos formais em 2023, sexto melhor resultado do país

Falta de medicamentos para doenças mentais afeta 30% dos municípios de SC

Destaques do NSC Total