nsc

publicidade

Em Paris

Tenista catarinense disputará Roland-Garros em cadeira de rodas

Ymanitu Silva será o primeiro brasileiro no Grand Slam entre 6 e 8 de junho

10/05/2019 - 15h04 - Atualizada em: 10/05/2019 - 16h36

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
Ymanitu Silva é o oitavo colocado do ranking de quads da ITF
(Foto: )

O mesmo saibro que consagrou Gustavo Kuerten, o Guga, com três títulos, Roland-Garros terá pela primeira vez um tenista brasileiro na categoria de cadeira de rodas. E o feito histórico cabe a um catarinense: Ymanitu Silva, de 36 anos. Oitavo colocado do ranking de quads da ITF, ele teve confirmada por meio de um wildcard a participação no Grand Slam francês que acontecerá entre 6 e 8 de junho, em Paris.

– Conseguir essa vaga em Roland-Garros é a realização de um sonho. Ver que todo o trabalho e esforço que sempre tive estão sendo reconhecidos me dá uma alegria muito grande, ainda não caiu a ficha. Ainda mais por se tratar de Roland-Garros, que é um Grand Slam tão charmoso e temos toda a nossa história com o Guga. Sempre sonhei em participar e agora estarei lá. É sensacional representar o meu país – falou Ymanitu.

O convite ao tenista se deu após o intermédio do presidente da Confederação Brasileira de Tênis (CBT), Rafael Westrupp. Em abril, durante a realização do Roland-Garros Junior Wild Card Series em Itajaí, ele entregou um ofício à Federação Francesa de Tênis (FFT) solicitando um convite para o brasileiro.

– Fico muito feliz pelo Many e satisfeito que nossos esforços enquanto entidade vêm refletindo em grandiosas conquistas para o nosso esporte. A CBT solicitou este wildcard e e foi atendida pela FFT. Só demonstra que nossas relações internacionais estão cada vez mais fortes. Por isso, agradeço a confiança e generosidade do presidente da FFT, Bernard Giudicelli, com o nosso tenista e com a CBT – disse Westrupp.

Antes de desembarcar na França, Ymanitu participou do Israel Open, torneio preparatório para o Mundial de Tênis em Cadeira de Rodas, que será entre 13 e 18 de maio. O Brasil é um dos dois países que levará à competição representantes em todas as categorias – masculino, feminino, quads e júnior –, o que representa outro feito histórico do país.

Deixe seu comentário:

publicidade