nsc

publicidade

ESPORTES

Timbó, Pomerode e Indaial correm contra o tempo para terminar obras dos Jasc

Apenas um dos três municípios teve recursos liberados para obras até esta semana. Necessidade de construção de pista sintética de atletismo preocupa

20/09/2019 - 10h33

Compartilhe

Augusto
Por Augusto Ittner
Obra no Pame, em Indaial
(Foto: )

A pouco mais de um mês para o início dos Jogos Abertos de Santa Catarina – que começam em 1º de novembro – duas das três cidades que sediarão o evento tentam romper barreiras burocráticas para finalizar obras de estrutura. Hoje apenas Indaial conseguiu a liberação dos recursos e já iniciou os trabalhos nos locais que receberão provas durante a disputa dos Jasc.

Já Timbó e Pomerode correm contra o tempo para ajustar a documentação às normas técnicas exigidas para ter acesso à verba do convênio. A situação que mais traz preocupação é no município timboense, responsável por sediar a maior parte das competições, por construir a Comissão Central Organizadora (CCO), por organizar a cerimônia de abertura e o principal: por ter que construir uma pista sintética de atletismo. Essa questão estrutural, inclusive, é o que motiva uma atenção especial à cidade, que receberá R$ 1,2 milhão dos R$ 2 milhões colocados à disposição das três prefeituras.

De acordo com Marcio Elisio, presidente da Fundação Municipal de Esportes de Timbó, a cidade já antecipou partes importantes da obra na pista de atletismo, que ficará no Complexo Esportivo. Etapas como a drenagem e concretagem dos 5,5 mil metros quadrados foram feitas, e o necessário agora é fazer a colocação do piso sintético.

– A janela de tempo é estreita e a gente tem que contar com tempo bom, mas estamos confiantes que tudo dará certo. Já fizemos o pedido para a organização para que o atletismo ocorra só na segunda semana dos Jasc, o que já nos dá alguns dias a mais para deixar tudo pronto – destaca Elisio.

Em Indaial, cidade que receberá a segunda maior fatia de recursos – R$ 500 mil – os trabalhos estão focados no Ginásio Sérgio Luiz Petters, que receberá um piso novo e cadeiras nas arquibancadas, e no Pavilhão Municipal de Esportes (Pame), onde a quadra será refeita e haverá a construção de arquibancadas. Já Pomerode – que ficará com R$ 300 mil – diz que espera pelo dinheiro para intervenções pontuais no ginásio, mas que boa parte das sedes de competições já estão prontas.

– O recurso vai ser usado no Ginásio Ralk Knaesel, para fazermos a colocação de uma manta asfáltica no teto, ajustes na cobertura para evitar goteiras e fazer melhorias na iluminação com a colocação de lâmpadas de led. Mas o tempo não nos preocupa. O que queremos é pelo menos deixar um legado – argumenta Arlindo Ewald, presidente da Fundação Promotora de Eventos, Esportes e Lazer de Pomerode.

O que travou a liberação mais ágil dos recursos, segundo o presidente da Fesporte, Rui Godinho, foi o vaivém de documentos exigidos pelo governo do Estado para que os municípios tivessem acesso à verba do convênio. São questões técnicas, que precisam respeitar detalhamentos do projeto, o que acaba dando a sensação de impasse burocrático. Conforme Godinho, esse entrave será resolvido até esta quinta-feira.

– Já pedi uma atenção especial, até pelo tempo, para que tenhamos uma conversa mais direta para resolver o problema o quanto antes. Até amanhã (quinta-feira) essa questão, principalmente de Timbó, já deve estar resolvida. Estamos tranquilos, está tudo dentro do prazo – avalia o presidente da Fesporte.

Os Jasc desse ano ocorrerão de 1º a 10 de novembro.

Deixe seu comentário:

publicidade