nsc
    dc

    Iniciativa sustentável

    Todas as garrafas que saem da fábrica da Ambev em Lages são recicladas

    Os subprodutos da cerveja, como pó e palha de malte, vão para a alimentação animal

    08/08/2013 - 14h12 - Atualizada em: 08/08/2013 - 14h24

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    No ano passado, a filial de Lages foi reconhecida como uma das três melhores na área de meio ambiente entre 47 fábricas da companhia.
    No ano passado, a filial de Lages foi reconhecida como uma das três melhores na área de meio ambiente entre 47 fábricas da companhia.
    (Foto: )

    Pelo menos 90% da cerveja consumida em Santa Catarina vem da Companhia de Bebidas das Américas (Ambev) de Lages. Única empresa do grupo no Estado, a fábrica tem capacidade para produzir até 600 milhões de litros por ano, mas com um diferencial: cada gota é feita com a política de buscar os melhores resultados a partir de soluções ecoeficientes.

    A unidade produz até 1,2 milhão de garrafas por dia, e todas são recicladas. A gerente de meio ambiente da empresa, Karina Turci, explica que as garrafas que não estiverem quebradas retornam para a fábrica, passam por um processo de lavagem e são reenchidas para voltar ao mercado com cerveja nova. Elas podem ser reutilizadas várias vezes se estiverem intactas.

    Não apenas com garrafas que a Ambev é exemplo. Os subprodutos da cerveja, como pó e palha de malte, bagaço de malte e a levedura, vão para a alimentação animal. Por mês, a fábrica gera em média 4 mil toneladas desses resíduos que, apesar de orgânicos, provocariam danos ao meio ambiente se fossem aterrados.

    - Uma de nossas metas é a reciclagem dos resíduos, e na fábrica de Lages chegamos a 99%, diz a gerente.

    No ano passado, a filial de Lages foi reconhecida como uma das três melhores na área de meio ambiente entre 47 fábricas da companhia.

    Empresas investem mais em preservação ambiental

    O futuro das indústrias catarinenses para os próximos três anos é voltado para a preservação ambiental. A última pesquisa da Federação das Indústrias de SC (Fiesc) sobre os investimentos que as empresas farão comprova: o segmento que mais deve crescer em recursos destinados pelas empresas é o do meio ambiente.

    Neste ano, 23% dos entrevistados afirmaram que devem investir nesta área, contra 17% das empresas que fizeram a mesma afirmação em 2012. A importância dada à sustentabilidade contribui, em muitos casos, para a redução de custos dentro da própria indústria e, de quebra, para que a sociedade veja com bons olhos a marca. O presidente da Fiesc, Glauco Côrte, acredita que a sustentabilidade é uma questão estratégica para a indústria nos últimos 10 anos, e que SC não fica atrás de outros Estados do país.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Economia

    Colunistas