nsc
    dc

    fabiano dell agnolo

    Trabalho: o motor de toda transformação

    É preciso rever, primeiramente, nosso próprio conceito da palavra "trabalho" para compreender sua importância

    07/11/2019 - 14h40 - Atualizada em: 09/12/2019 - 11h02

    Compartilhe

    Por Tech SC
    Eletrônica
    (Foto: )
    Fabiano
    (Foto: )

    O entendimento da palavra "trabalho" quase sempre teve uma conotação negativa, pesada e ruim. A própria origem da palavra está associada a sofrimento, castigo ou punição. Muitos historiadores afirmam que a palavra tem origem do latim tripallium, nome dado a um instrumento medieval de tortura de escravos.

    Um pouco mais adiante, o trabalho passou a estar associado às atividades produtivas mais pesadas, braçais ou artesanais, que eram realizadas por trabalhadores menos qualificados, em geral.

    O conceito ficou marcado. E ainda hoje, após séculos e tanta evolução, associa-se o trabalho a um contexto ruim e negativo. É comum, por exemplo, ao se referirem a algo difícil, complicado de se fazer, ou cansativo, as pessoas saírem com o seguinte chavão: “Puxa vida, isso dá tanto trabalho”.

    No entanto, em culturas mais evoluídas, o trabalho possui um conceito bem diferente.

    No Japão, por exemplo, o trabalho é considerado a coisa mais importante na vida do cidadão. Inclusive, vem como prioridade em relação à pátria e a família. O entendimento deles é de que só é possível proteger a família e contribuir para a pátria por meio do trabalho. E isso faz todo o sentido. Não à toa o Japão, com território inferior a 5% do brasileiro, é a terceira maior potência econômica do mundo.

    É muito fácil de entender. Não há país no mundo com boa economia e boa qualidade de vida sem que o trabalho seja levado a sério, considerado como prioridade.

    Isso também se aplica às cidades, empresas e até mesmo famílias. E vai além: os benefícios do trabalho não se limitam a grupos e ecossistemas, mas configuram o grande diferencial em âmbito individual.

    O trabalho gera dignidade.

    Getúlio Vargas, que teve um papel significativo no desenvolvimento do trabalho no país, já defendia que “o trabalho é o maior fator da elevação da dignidade humana”. O trabalho promove liberdade em vários aspectos, fomenta o crescimento e o aprendizado. E, no fim do dia, é por meio do trabalho que evoluímos, inovamos, e nos desenvolvemos. É com o trabalho que a transformação acontece!

    O entendimento de que o trabalho não só é necessário, mas é positivo e agradável, se desenvolve. Uma pergunta recorrente é: fazer o que ama, ou amar o que faz?

    A importância de desenvolver o amor ao trabalho é muito maior do que imaginamos, e deve ser uma busca constante no objetivo de criar uma cultura voltada ao empreendedorismo e inovação.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Economia

    Colunistas