nsc
nsc

Superação

Triatleta passa um ano sem andar, supera acidente e volta a competir

Ana Lídia Borba quebrou todas as costelas, metade da coluna para baixo, a bacia e rompeu vários órgãos

09/10/2015 - 09h05

Compartilhe

Por Redação NSC
Atleta tem 14 parafusos e seis placas pelo corpo
Atleta tem 14 parafusos e seis placas pelo corpo
(Foto: )

Ana Lídia Borba, goiana radicada em Florianópolis, treinava para o Ironman de 2009. Na estrada, perdeu o controle da bicicleta ao não conseguir desviar de um "olho de gato". Soltou a bicicleta e caiu no meio da pista. Um caminhão ainda conseguiu desviar, mas o carro que vinha logo atrás, não. Ana foi atropelada. A roda do veículo passou sobre o quadril da atleta.

Acompanhe as notícias da Grande Florianópolis

Por um instante, o pensamento era de que o pior pudesse ter acontecido. Mas só por um momento. O processo de recuperação foi complexo. Um mês e meio na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), quatro meses de cama e três meses andando com ajuda de muletas. Só voltou a andar, sem ajuda, em setembro de 2010, quase um ano depois do acidente, onde quebrou todas as costelas, metade da coluna para baixo, a bacia e ter rompido vários órgãos.

- Hoje tenho 14 parafusos e seis placas. Também tenho uma placa na frente no quadril, um parafuso de 25cm atravessando o meu quadril e mais um monte de parafusinhos pela coluna - revelou, com empolgação, a triatleta que foca parte de seu treinamento no crossfit.

- A recuperação dela é algo inexplicável, ainda mais que ela compete em alto nível - explica o seu coach da Crossfit Floripa José Murilo Neto.

Ana fazia até duas sessões de fisioterapia por dia e ainda hoje a atleta sofre com sequelas do acidente e precisa de acompanhamento médico. Mas nada que abale o ânimo e a dedicação ao esporte.

O psicológico, hoje, vai muito bem, com alguns ossos quebrados e músculos "fora do lugar". Ainda em processo de recuperação, Ana Lídia Borba trabalhou como comentarista da edição de 2010 do Ironman e acabou se comprometendo, publicamente, a voltar, como competidora, no ano seguinte.

E cumpriu: competiu em 2011 e voltou a ser uma atleta de ponta.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Cotidiano

Colunistas