nsc
santa

Acidente no Alto Vale

Trinta e nove pessoas vão parar no hospital após vazamento de amônia em Presidente Getúlio

Pessoas foram encaminhadas para hospitais pelos bombeiros

10/06/2014 - 13h13 - Atualizada em: 10/06/2014 - 18h18

Compartilhe

Por Redação NSC

Um total de 14 pessoas foram encaminhadas para o Hospital Maria Auxiliadora de Presidente Getúlio e 25 pessoas foram parar no Hospital Valdomiro Colautti de Ibirama por causa de um vazamento de amônia no frigorífico Pamplona, em Presidente Getúlio. As pessoas sentiram falta de ar, irritabilidade na garganta, vômito e ardência nos olhos.

Segundo os bombeiros, a ocorrência foi às 11h16min e gás foi contido logo em seguida. O vazamento teria sido em decorrência do problema em uma válvula de segurança do refrigerador. Trabalharam na ocorrência bombeiros voluntários de Ibirama, Presidente Getúlio, equipes do Samu de Ibirama e Rio do Sul, além de uma equipe da Defesa Civil de Presidente Getúlio, totalizando aproximadamente 50 pessoas. Conforme os bombeiros de Ibirama, após o vazamento, a empresa voltou a funcionar normalmente.

De acordo com informações dos dois hospitais, os pacientes passaram pelo setor de emergência na tarde desta terça-feira. Alguns realizaram exames de raio-X e outros ficaram em observação por parte da tarde. Nenhum paciente está em estado grave. Todos os internados no Hospital Valdomiro Colautti de Ibirama já foram liberados; o Hospital Maria Auxiliadora de Presidente Getúlio foi contatado, mas não repassa informações sobre seus pacientes.

Válvulas do frigorífico foram desligadas nos dias de enchente

O gerente-geral do frigorífico, José Mário Rodrigues, explicou que as válvulas de segurança foram desligadas por precaução nos dias de enchente na região. Em função disso, o sistema teria pressurizado e uma válvula se abriu, liberando a amônia.

Apesar da casa de máquinas ser afastada de onde as pessoas trabalham, a substância foi conduzida pelo vento até o local onde as pessoas estavam. A empresa opera com 568 trabalhadores.

- No momento em que as pessoas sentiram o cheiro, algumas começaram a passar mal e acionamos nossa brigada de primeiros socorros. Além disso, evacuamos toda a empresa por precaução - explicou Rodrigues.

Colunistas