nsc
    dc

    Educação

    UFSC afirma que vestibular para 2020 está confirmado

    Universidade publicou nota nas redes sociais após suspensão do processo seletivo ter sido discutida na assembleia de segunda-feira

    03/09/2019 - 11h37 - Atualizada em: 03/09/2019 - 15h13

    Compartilhe

    Karollayne
    Por Karollayne Rosa
    (Foto: )

    “A UFSC esclarece que o Vestibular Unificado 2020 está confirmado” anunciou a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) após a assembleia realizada na noite de segunda-feira (3), convocada pelo Conselho Universitário (CUn).

    Conforme a nota, publicada no perfil oficial da instituição no Facebook e no Twitter, o vestibular é um ato administrativo regular, regido pelo Conselho Universitário e, por isso, não será cancelado.

    A assembleia reuniu cerca de 4 mil pessoas — entre estudantes, professores e funcionários da universidade — no Centro de Cultura e Eventos Reitor Luiz Carlos Cancelier de Olivo, localizado no câmpus do bairro Trindade.

    Conforme informado pela Universidade, a nota foi emitida para esclarecer boatos de que o vestibular estaria suspenso, pois uma decisão como essa não pode ser decidida apenas por assembleia.

    O posicionamento definitivo da UFSC em relação ao programa Future-se e aos outros assuntos discutidos na assembleia será anunciado pelo Conselho Universitário nesta terça-feira (3) em uma sessão que ocorrerá às 14h, no Auditório Garapuvu.

    Suspensão foi discutida em assembleia

    Além da rejeição ao Programa Future-se, anunciado pelo Governo Federal, a maioria dos participantes da assembleia votou pela suspensão do próximo vestibular. A medida foi proposta pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) da instituição e seria válida até que o governo revertesse o corte nos recursos da educação.

    O coordenador geral do DCE Luís Travassos, Marco Antônio Marcon Pinheiro Machado, afirma que a reivindicação foi debatida e aprovada no ato, mas é algo que depende da aprovação do Conselho Universitário, a instância máxima de deliberação da universidade.

    — É uma suspensão, não é um cancelamento. A gente quer que o vestibular aconteça, mas não sob as condições que a universidade está agora. Sem condição de RU, sem condição de segurança, porque já foram demitidos funcionários terceirizados que faziam a segurança da universidade — explica o estudante.

    Para ele, o problema no financiamento das universidades trata-se de um estrangulamento calculado para a aprovação do programa Future-se, anunciado pelo Governo Federal. O estudante destaca ainda que o DCE defende o amplo acesso à universidade e a garantia ao direito ao ensino superior público é uma pauta histórica do movimento estudantil.

    — Não se refere ao DCE não querer a entrada de novos estudantes, se refere à atual conjuntura da universidade em aceitar receber essas pessoas nas condições de assistência estudantil que existem hoje. Imagina um vestibular como esse, que concorrem mais de 32 mil pessoas e mais da metade delas têm uma renda familiar mínima menor que um salário mínimo e meio por mês, significa que a universidade só vai absorver aqueles que têm condições financeiras para se manter — finaliza.

    Acesse o NSC Total e acompanhe as últimas notícias

    Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Educação

    Colunistas