nsc
    dc

    Educação

    UFSC prorroga suspensão das atividades presenciais até 30 de abril em função do coronavírus

    Medida unifica calendário, já que por conta de Decreto estadual as aulas estão suspensas em Santa Catarina até 19 de abril

    07/04/2020 - 10h25 - Atualizada em: 07/04/2020 - 12h59

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    ufsc
    Atividades presenciais continuam suspensas
    (Foto: )

    A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publica nesta terça-feira, 7, Portaria Normativa nº 357 que estabelece a prorrogação da suspensão das atividades acadêmicas e administrativas presenciais até o dia 30 de abril, em função do coronavírus. A medida unifica o período de suspensão das as aulas, que por conta de Decreto estadual estão suspensas em Santa Catarina até 19 de abril, e as atividades administrativas vinham sendo suspensas por períodos de uma semana.

    — A decisão se ampara em todos os indicadores gerados por especialistas, segundo os quais o ‘pico’ da curva de expansão do contágio deve ocorrer em torno do dia 20 de abril — explica o reitor, Ubaldo Cesar Balthazar.

    Como a UFSC suspendeu as aulas inicialmente no dia 16 de março e depois, com o Decreto estadual, esse período foi ampliado até o dia 19 de abril, houve um movimento especialmente de estudantes de volta para casa. Mais de 30% dos alunos da UFSC têm residência familiar fora das cidades em que estudam.

    A partir da ampliação da suspensão das atividades, os setores técnicos e administrativos também podem ficar por mais tempo em atividades remotas – quando possível – e assim preservar o isolamento social, estratégia confirmada por autoridades sanitárias como essencial para conter a propagação em massa.

    — Insistimos que, o fundamental nesse momento e nos próximos dias e semanas, é cuidarmos de nossa saúde e de nossos amigos e familiares. Ficar em casa — reforça o reitor.

    Desde que houve a suspensão, a UFSC tem atuando firmemente no combate à pandemia, segundo a instituição. São inúmeros os projetos de pesquisa e investigação que geram soluções e ações voltadas à segurança, realização de exames, medidas de prevenção, atividades de solidariedade.

    Além disso, com o fechamento dos Restaurantes Universitários, a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) instituiu um programa emergencial, para subsidiar com bolsas os estudantes com cadastro sócio econômico situado na faixa dos mais vulneráveis.

    — Temos tido esse cuidado, com estudantes que dependem das refeições e que, neste momento, demanda ainda mais apoio — diz o pró-reitor da Prae, Pedro Manique Barreto.

    Além da bolsa, que terá um segundo edital em abril, já foram destinadas cestas básicas aos estudantes da Moradia Estudantil e do alojamento indígena, e remetidos mais de uma tonelada de alimentos a cada um dos outros quatro campi da UFSC. A PRAE, com apoio do Diretório Central dos Estudantes (DCE), segue nesta semana com mais uma ação de distribuição de seis toneladas de alimentos.

    — Como eu disse há duas semanas, a Universidade não está parada. Estamos trabalhando, e muito, para manter nossa instituição voltada à preservação de vidas, nosso bem mais importante e essencial — diz o reitor.

    Em página especial, saiba mais sobre o coronavírus

    Painel do Coronavírus: mapas e gráficos mostram o avanço da doença

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Educação

    Colunistas