nsc
    an

    Transporte público

    Usuários relatam insegurança após queda de forro no Terminal Central de Joinville

    Parte da cobertura desabou na terça-feira (15). Prefeitura planeja licitação para manutenção estrutural do prédio

    16/01/2019 - 11h10

    Compartilhe

    Luan
    Por Luan Martendal
    Queda de parte do forro ocorreu na tarde de terça-feira
    Queda de parte do forro ocorreu na tarde de terça-feira
    (Foto: )

    Os usuários do transporte público que transitam pelo Terminal Central de Joinville, enfrentam sensação de insegurança depois que parte da cobertura desabou na tarde de terça-feira (15). A Defesa Civil do Município interditou a área atingida e agentes fizeram vistoria na 2ª plataforma de embarques do Terminal Deputado Aderbal Tavares Lopes, na manhã desta quarta-feira.

    O incidente foi verificado por volta das 17 horas, quando lâminas de PVC da parte interna do telhado se desprenderam e caíram, algumas das chapas caíram sobre um ônibus que estava parado na plataforma. A queda ocorreu entre os Box 13 e 17, que contemplam as linhas Guanabara, Costa e Silva e IFSC, e, apesar do susto ninguém se feriu.

    Parte da cobertura do Terminal Central desaba em Joinville

    A situação não se resume apenas a área interditada nas proximidades da Rua Nove de Março. Em visita do A Notícia no terminal, foram observados ao todo quatro pontos em que outros pedaços do forro já haviam cedido, em três plataformas diferentes. Também é possível notar desgaste e frestas em outros trechos das plataformas, além de mofo e pontos de iluminação danificados.

    De acordo com Ana Souza, que diariamente vai de ônibus do Jardim Paraíso até o Terminal Central, as condições atuais do terminal são insatisfatórias e passam a sensação de insegurança.

    E se cai (o forro) na hora que uma criança está passando?

    — Quando chove a gente pega chuva por causa da goteira, e a insegurança (com o teto) é muita. Penso no meu filho pequeno, e se cai (o forro) na hora que a criança está passando? — questiona Ana.

    A precariedade da estrutura atual do Terminal Central, inaugurado no início da década de 1980, não é diferente da encontrada há seis meses quando AN esteve no local durante avaliação da estrutura dos terminais joinvilenses. Nos banheiros, há pontos de entupimento e outros de vazamento nos sanitários, além da falta de itens de higiene. Há torneira quebrada, pichação nas paredes e o chão apresenta desgaste.

    A usuária do transporte público Emanuelle Benjamin comenta o que precisa ser melhorado no terminal
    A usuária do transporte público Emanuelle Benjamin comenta o que precisa ser melhorado no terminal
    (Foto: )

    O asfalto no qual os ônibus chegam e partem das viagens apresenta rachaduras em alguns trechos e parte da sinalização horizontal está gasta. No entorno do prédio parte da grade apresenta ferrugem e falhas de proteção. Há ainda problema de acessibilidade, como a falta de piso tátil para deficientes visuais, comente rampas de acesso entre uma plataforma e outra.

    Conforme João Gonçalves, de 50 anos, por vezes, quando chove os usuários ficam à mercê da chuva, uma vez que entre uma plataforma e outra não existe cobertura. “Na parte coberta o desabamento traz insegurança com certeza, tem ainda o fato de o corredor de ônibus não ter uma cobertura, nada, e nisso o usuário fica na chuva”, justifica. A também usuária do transporte público Emanuelle Benjamin, 37, que faz trajeto diário do Jardim Paraíso para o Centro, reforça o incômodo.

    — Os banheiros são ruins e no Terminal Norte a situação está ainda pior. A redução nos horários também incomoda, e agora o teto caiu. Minha mãe já ficou aqui na chuva e isso nos deixa assustadas porque quando chove com vento, parece que vai arrancar o teto, então nós ficamos com medo de ficar embaixo do terminal, pois não tem segurança — afirma.

    — É preciso melhorar para não cair (a cobertura) na cabeça de ninguém — disse à reportagem outro cidadão, que, apressado seguiu para a estação.

    O usuário do transporte coletivo João Gonçalves fala sobre falta da cobertura
    O usuário do transporte coletivo João Gonçalves fala sobre falta da cobertura
    (Foto: )

    Contraponto

    Procurada pelo Jornal A Notícia, a Prefeitura de Joinville se pronunciou por nota e informou que, em parceria com as empresas concessionárias do serviço de transporte coletivo, fará um levantamento das necessidades de melhorias mais emergenciais da cobertura do terminal central urbano para que depois seja definido um plano de execução de obras.

    Ainda conforme a administração municipal, uma das ações imediatas foi a retirada dos restos do forro que ficou danificado para que a área da plataforma, onde ocorreu o incidente da queda do revestimento interno, seja desinterditada.

    A Prefeitura de Joinville apontou também que, através da Seinfra, vai realizar um levantamento técnico para elaboração do processo de licitação, a fim de contratar uma empresa para fazer a manutenção da estrutura do terminal. Ainda não há data ou orçamento para o projeto.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas