Levar marmita para o trabalho ou para a academia hoje é sinônimo de cuidado com a saúde, com a alimentação e, claro, com o bolso – afinal, fazer a comida em casa gera economia no fim do mês.

Continua depois da publicidade

– Pensando em uma refeição completa e nutritiva, usando como base de cálculo arroz integral, feijão preto, um tipo de carne e quatro tipos de hortaliças, o valor do almoço de quem leva comida de casa, atualmente, sairia em torno de R$ 13 – destaca a nutricionista Simone Bach.

De acordo com pesquisa do Centro de Estudos e Pesquisas Econômicas (Iepe) da UFRGS, o custo médio de uma refeição fora de casa em Porto Alegre foi de R$ 17,55 em junho.

É fundamental planejar com antecedência as refeições para evitar a falta ou o desperdício de alimentos. Na hora de montar o prato, é preciso lembrar que ele deve conter uma porção de carboidrato, uma de leguminosas (feijão, grão de bico ou lentilha, por exemplo), uma fonte de proteína e quatro tipos de verduras e legumes, segundo Simone.

Continua depois da publicidade

– As quantidades dependem dos objetivos e escolhas de cada um – indica a nutricionista.

Para ajudar quem pensa em aderir a esse hábito, ZH dá algumas dicas e receitas.

Arroz versátil de segunda a sexta

O arroz nosso de cada dia é item fundamental para uma alimentação balanceada. Rico em nutrientes como proteínas, minerais e fibras, o cereal é fonte de carboidratos, responsáveis pelo fornecimento de energia ao organismo.

Na dobradinha arroz e feijão, por exemplo, as proteínas de cada um se completam, formando o que os especialistas denominam proteína de alto valor biológico – ou seja, aquela que oferece ao corpo aminoácidos essenciais.

– Aminoácidos são as peças que compõem a proteína. Temos entre 23 e 26 aminoácidos no corpo e nem todos conseguimos produzir, é preciso vir da alimentação – explica a nutricionista Jacira Conceição dos Santos, presidente do Conselho Regional de Nutricionistas 2ª Região.

Continua depois da publicidade

A dupla arroz e feijão é ainda a opção vegetariana ideal para ingerir esses compostos, que estão presentes também na carne, nos ovos e nos laticínios.

Como é muito versátil, o arroz pode ser usado em várias preparações, que vão bem de segunda a sexta-feira sem cara de comida requentada. O professor de Gastronomia do Senac Comunidade Mauro Diniz Severo indica diferentes receitas usando arroz.

Tipos de arroz:

Branco: tem a casca e outras camadas retiradas. Embora dê menos saciedade, casa melhor com alguns pratos e o tempo de cozimento é menor.

Continua depois da publicidade

Parboilizado: passa por um processo de aquecimento úmido que deixa o grão ainda mais rico em vitaminas e minerais. Tem alto teor de amido resistente, substância que não é digerida e se transforma em uma fibra que beneficia o intestino. Dá mais saciedade que o branco.

Integral: rico em vitaminas do complexo B e fibras que conferem mais saciedade. 

Salada conservada dentro do pote

Foto: Thais Brandão / Divulgação

As saladas em potes de vidro são práticas e fáceis de transportar, além de servirem a porção ideal de legumes e vegetais para uma refeição.

— Elas são um ótimo incentivo para as pessoas inserirem o consumo regular de salada na quantidade certa, já que muitas não comem por preguiça de higienizar, preparar ou deixam de comprar porque estraga muito rápido. Essas saladas mantêm os legumes fresquinhos e de uma forma bonita, que aumenta ainda mais a vontade de comer — descreve a nutricionista Simone Bach.

Continua depois da publicidade

Para montar a sua própria salada, escolha vários grupos de vegetais, misture cores e prefira os orgânicos. Os potes, se bem fechados, podem ser conservados na geladeira de cinco a sete dias.

Montagem

– Na camada inferior, acondicione as hortaliças mais pesadas que podem entrar em contato com o molho como cenoura, rabanete, pepino ou vagem. Feijões, lentilhas e grão de bico também ficam na primeira camada.

– Na segunda camada, posicione couve-flor, brócolis, ervilha, tomate, sementes e oleaginosas.

– Por fim, coloque as folhas como rúcula, alface, agrião, espinafre ou acelga.

Higienização

– Lave os alimentos em água corrente para remover impurezas.

– Deixe de molho por 15 minutos em água com 1 colher de sopa de água sanitária para cada litro de água ou em quatro colheres de sopa de vinagre de maçã para cada litro de água por 30 minutos.

Continua depois da publicidade

– Descarte a água e lave. Depois de secos, armazene os produtos em potes de vidro na prateleira acima da última gaveta da geladeira.

Como levar a marmita

Leve as suas refeições em potes de vidro e transporte-as em lancheiras térmicas. Elas podem ficar por até três horas dentro da lancheira. Quem não tiver essa opção deve manter a comida fora da geladeira por apenas uma hora. Evite embalagens plásticas.

– Além de não conservarem bem, os potes de plástico podem conter bisfenol, substância prejudicial à saúde – alerta a nutricionista Simone Bach.

Continua depois da publicidade

Destaques do NSC Total