O Projeto Ilê Ifé, coordenado pela escritora Iyá Leke, presidente do Instituto Odoiyá e presidente estadual do Afoxé Ómó Ifá de Santa Catarina e o pesquisador Babalawo Sandro Ifatorera, quer mostrar as semelhanças entre Florianópolis e a cidade de Ilê Ifé, na Nigéria.

Continua depois da publicidade

Segundo Iyá Leke, a ideia surgiu depois que os pesquisadores realizaram viagens para o país africano. Lá eles identificaram muitos elementos em comum com a cultura afro-brasileira, principalmente, com o carnaval. Tanto que a música, a dança, o canto, a presença da percussão, ou seja, do toque do atabaque são alguns exemplos destes pontos em comum e que se assemelham muito com as escolas de samba.

E muito mais que promover um intercâmbio entre Florianópolis/Brasil e Ilê Ifé/Nigéria, o projeto quer mostrar que a cultura yorubá continua a desempenhar um papel importante no avanço da história do Brasil.

A pesquisa nas escolas de samba de Florianópolis vai ser importante para mostrar quais são as frequências culturais que apresentam maior relação com as matrizes africanas do Festival Olojó, que é realizado em Ilê Ifé, na Nigéria. Como resultado, os pesquisadores vislumbram a publicação de um e-book interativo com linguagem acessível para disseminar os elementos culturais entre as duas cidades.

Continua depois da publicidade

Leia mais:

Carolina Figueiredo lança grife de lingerie em Paris

Marquito vai celebrar aniversário em Floripa e prepara ‘terno sustentável’ para a posse

Confira onde assistir aos jogos da Copa em Floripa

Marize Koerich abre exposição em Florianópolis

Destaques do NSC Total