Este isolamento social imposto pelo aparecimento do coronavírus nos obriga a momentos de reflexão, uma volta a leitura, um pouco de história e os cuidados necessários que a pandemia exige. O maior deles é o isolamento, o que nos permite voltar ao tempo através da boa leitura. As notícias dizem que a luta continuará por algum tempo. Os números de óbitos aumentam a cada dia no país, o futebol quer fazer a bola rolar, os dirigentes sofrem pressão dos clubes mas o momento é de preservação da vida. Buscamos então os nossos arquivos para relembrar um pouco da nossa história do futebol catarinense.

Continua depois da publicidade

O Início

O estádio Adolfo Konder na Rua Bocaiuva em Florianópolis foi onde praticamente tudo começou. Sua inauguração se deu em 13 de maio de 1930 mesmo que o início do futebol em SC tenha começado em 1913 na praça General Osório onde estava o campo do manejo, hoje Instituto Estadual de Educação. O jogo? Decisão do estadual de 1929 entre Adolfo Konder (time da PM da capital) e Caxias de Joinville. Resultado, 7 x 3 para o Caxias.

Você sabia?

Antes de ser batizado com o nome do então Governador Adolfo Konder, o estádio era conhecido também como, campo do Palmeiras, do Aldo Luz da Rua Bocaiuva, São Luiz da praia de fora, campo da Liga, FCF e finalmente do Avai FC. Os portões do estádio foram fechados em 24 de outubro de 1983 depois de 57 anos de bons serviços prestados ao futebol.

Folclore?

Conta o historiador Maury Dal Grande Borges que em 1941 o Figueirense foi campeão e os jogadores receberam medalhas pelo título. Dia seguinte, um deles foi ao consultório do famoso dentista Arnoldo Suarez Cuneo e pediu para que fosse feita uma capa para o seu dente usando o ouro da medalha.

O dentista não quis derreter a medalha, fez um orçamento do custo do trabalho e o atleta deixou a medalha de garantia ao pagamento. Pagaria quando tivesse condição e a medalha seria devolvida. Nunca mais voltou. Não se sabe quem foi o jogador nem se a medalha ainda está com a família.

Continua depois da publicidade

Seleção de ouro

seleção
(Foto: Arquivo Pessoal )

Nos tempos do Campeonato Brasileiro de seleções a tabela regionalizada nos apresentava sempre o Paraná como primeiro adversário. Já ficávamos por ali mesmo e em geral com sofridas goleadas. Somente em 1959/60, com o Paula Ramos sendo base da nossa seleção, conseguimos avançar. Eliminamos o Paraná com 1 a 0 no Adolfo Konder depois de empate em Curitiba, eliminamos também o RGSUL com 4 x 2 aqui e 2 x 0 no estádio Olímpico e fomos eliminados pelos Mineiros perdendo em casa por 1 a 0 e empatando em Juiz de Fora em 2 x 2.

A foto da nossa seleção. Em pé: Ivo (Caxias), Zilton (P.Ramos), Nelinho (P.Ramos), Gainette (P.Ramos), Antonio (M.Dias), Picolé (Palmeiras) e Arruda Salomé preparador físico.

Agachados: Massaneiro (massagista CAXIAS), Galego (Metropol) Edésio (M.Dias) Teixeirinha (C.Renaux ou Palmeiras), Valério (P.Ramos) e Almerindo (Atlético Operário).

Ainda estavam na seleção: Marreco, Elio Ramos, Sombra, todos do Paula Ramos.

E o pagamento?

O Santos veio a Joinville paraninfar a festa do título do Jec colocando-lhe as faixas de campeões em 1981. O jogo ocorreu em 26 de novembro daquele ano. Jec 1 a 0 gol de Barbieri mas as faixas não apareceram no estádio para a solenidade. Costureira recusou-se a entregá-las. Falta de pagamento? Ninguém explicou.

Continua depois da publicidade

No Debate

O presidente Jaime Dal Farra do Criciúma é o convidado desta quarta-feira (20), do Debate Diário na CBN as 13h.

Nenhuma novidade

Avaí e Figueirense estão trabalhando. O Figueirense no CT do Cambirella em Palhoça autorizado pela Prefeitura Municipal e o Avaí na academia já que não pode ir a campo por conta da proibição da prefeitura da capital.

Na última terça-feira, surgiram informações não confirmadas ainda de que o volante Ralf do Corinthians estariam negociando com o Avaí. Com 36 anos de idade Ralf não está nos planos do atua técnico do timão e precisa jogar.

Em Chapecó, Renato rescindiu com a Chapecoense e pode ter sua volta a Ressacada confirmada a qualquer momento. No mais trabalho e cuidados especiais com o novo coronavírus o que acontece também no Figueirense.

Continua depois da publicidade

Pelo Estado

Alguns clubes optaram por voltar aos treinamentos 20 dias antes do reinicio do estadual. Vão aguardar a marcação da data pela FCF. É o caso do Marcílio Dias, Concórdia, Tubarão entre outros. O Brusque foi o primeiro time a voltar ao trabalho. Segue a risca todas as determinações das autoridades da saúde e da Prefeitura municipal.

Memória

memória
(Foto: Arquivo Pessoal )

Este time do Avaí enfrentou o Bangu do Rio de Janeiro com Zizinho presente no Adolfo Konder. Foi em 1957 e o Avaí na época foi buscar Teixeirinha para reforçar o time. Pois foi dele o gol de empate em 3 a 3 n o Adolfo Konder. Eis o time:

Em pé a partir da esquerda: Marreco, Valério, Loló, Valdir, Tatu e Enisio. Agachados: Bolão, Nilson, Amorim, Teixeirinha e Rodrigues.

Destaques do NSC Total