nsc

publicidade

Tragédia em alto-mar

Após resgate de 16 tripulantes, equipes retomam buscas por seis vítimas de naufrágio em SC 

Ao menos um pescador morreu. Equipes de resgate recebem reforço de embarcação enviada pela Marinha ao Sul catarinense

20/10/2016 - 18h19 - Atualizada em: 21/10/2016 - 16h00

Compartilhe

Por Redação NSC
Familiares aguardavam no porto a chegada dos pescadores
Familiares aguardavam no porto a chegada dos pescadores
(Foto: )

Chegaram ao porto de Itajaí no fim da tarde desta quinta os 16 sobreviventes resgatados do naufrágio do barco pesqueiro "Jorge Seif Junior". O corpo da única vítima confirmada até o momento também foi levado para a cidade do Litoral Norte catarinense. Um ferido foi levado de helicóptero ao Hospital Celso Ramos, em Florianópolis. Seis tripulantes seguem desaparecidos. As buscas serão retomadas nesta sexta-feira pela manhã. No início da tarde chega reforço enviado pela Marinha.

A embarcação de madeira, com 26 metros de comprimento, naufragou por volta das 5h40min desta quinta-feira, antes do nascer do sol, a 80 quilômetros da costa de Imbituba, no sul do Estado.

Barco pesqueiro naufraga com 24 tripulantes na costa de Imbituba

Amigos e familiares aguardavam com ansiedade a chegada das lanchas da Marinha que trouxeram os sobreviventes ao porto. De acordo com o tripulante Elias Pereira da Silva, o mar estava revolto no momento em que o barco adernou.

— Foi tudo de repente. A onda engoliu o barco. Só deu para escutar os gritos. Só isso que eu me lembro. Esperamos o resgate por 40 minutos, talvez uma hora. Só deu para escutar os gritos dos nossos parceiros se afogando, morrendo — falou o pescador à repórter Gabriela Machado, da RBSTV.

Corpo de tripulante morto também chegou ao porto de Itajaí no fim da tarde
Corpo de tripulante morto também chegou ao porto de Itajaí no fim da tarde
(Foto: )

Os sobreviventes foram resgatados pelo navio mercante "BBC Citrine", com bandeira de Antígua e Barbuda, que passava pela região. Ao longo de todo o dia, aeronaves da Marinha e da Força Aérea realizaram buscas pelos pescadores desaparecidos por uma área de 150 km². O trabalho das aeronaves foi finalizado com o pôr do sol e deve recomeçar na manhã desta sexta-feira, de acordo com o capitão Alekson da Silva Porto.

Durante a noite, navios mercantes permaneceram na região do naufrágio, porém sem fazer buscas, já que eles não possuem um sistema apropriado. Um navio especializado da Marinha, o patrulha Benevente, se desloca desde o porto do Rio Grande, no Sul do RS, e vai se juntar ao trabalho de busca por volta das 13h desta sexta-feira.

Familiares se emocionam ao encontrar os sobreviventes
Familiares se emocionam ao encontrar os sobreviventes
(Foto: )

Segundo o capitão Alekson, o Benevente e as aeronaves possuem um moderno sistema de busca, com radares, buscas térmicas e visuais. O oficial não quis opinar sobre a chance de encontrar sobreviventes com vida, porém afirmou que há relatos de pessoas que foram resgatadas após três dias à deriva.

— Enquanto estivermos trabalhando, buscaremos vidas — afirmou.

*Com informações da repórter Gabriela Machado, da RBSTV

Deixe seu comentário:

publicidade