nsc
dc

publicidade

Série B

Avaí empata com o CSA e segue sem vencer na Ressacada

Duelo pela 18ª rodada termina em 0 a 0

27/07/2018 - 18h10 - Atualizada em: 27/07/2018 - 18h28

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

Segue a sina: o Avaí continua sem conseguir vencer na Ressacada. Novamente a equipe azurra teve maior volume de jogo e mais oportunidades de fazer as redes balançarem (14 a 8 nas finalizações), porém o placar não mexeu no duelo diante do CSA pela Série B do Campeonato Brasileiro. A quarta partida sem triunfo como mandante, o 0 a 0, ainda mantém o Leão no G-4 nesta sexta-feira, mas o complemento da 18ª rodada deve resultar na saída do time da zona de acesso à elite.

O Avaí vai ter tempo para se preparar ao próximo compromisso na competição. O jogo contra a Ponte Preta, que encerra o primeiro turno azurra, está marcado para as 19h do próximo sábado, na Fonte Luminosa, em Araraquara (SP). O CSA volta a jogar no dia anterior, às 21h30min, no Rei Pelé e diante do Juventus.

Três minutos de jogo e três chances do Avaí. Na terceira, Renato alçou para Romulo ajeitar de cabeça para Rodrigão ficar de frente com o goleiro. Com fome de gol e de volta à equipe após três partidas de ausência por lesão, o centroavante escorou e Lucas Frigeri evitou. Aos oito, a novidade do Avaí na escalação encontrou as redes, mas a arbitragem invalidou: André Moritz estava adiantado e o impedimento foi marcado. Porém, o time azurra não conseguiu manter a intensidade ofensiva por tanto tempo, até porque o CSA amarrava o andamento com seguidas faltas. Aos 28, Rodrigão teve outra chance. Após quase deixar a bola escapar na matada de peito, emendou a bicicleta que saiu fraca.

Pouco depois, o Leão desperdiçou outra grande chance. Romulo botou Renato para correr e ficar diante do goleiro. A redonda se adiantou e ele ainda deu o toquinho que provocou o rebote de Lucas Frigeri. Moritz aparou e completou, bateu do jeito que deu e para fora. A melhor chance dos alagoanos foi nos instantes finais da etapa, em uma infelicidade da defesa. Betão tentou mandar para longe, mas pegou mal e a bola subiu muito. Na descida, quase enganou Aranha. Tocou na trave e depois a retaguarda afastou. As equipes voltaram sem alterações e sem inspiração do intervalo.

A primeira boa chance do segundo tempo foi aos 17 minutos, quando a boa troca de passes terminou nos pés de Rodrigão, livre de marcação, na risca da grande área. O tiro cruzado saiu sem muita força e o goleiro segurou com firmeza. O lance fez o Leão crescer na partida, embora não traduzisse o maior volume em gol. Então, o técnico Geninho resolveu dar novo fôlego ao time. Saíram André Moritz e Rodrigão e entraram Beltran e Getúlio. O paraguaio teve ótima chance aos 37. No cruzamento de Guga, fechado, ele desviou e Lucas Frigeri fez uma grande defesa.

A última cartada azul e branca foi a entrada de Marquinhos. O time pressionou até onde pôde. Já nos acréscimos, ainda perdeu Judson para o próximo jogo, por conta da expulsão pelo segundo cartão amarelo na partida.

FICHA TÉCNICA

AVAÍ

Aranha; Airton, Marquinhos Silva e Betão; Guga, Judson, André Moritz (Getúlio), Renato (Marquinhos) e Capa; Romulo e Rodrigão (Beltrán). Técnico: Geninho.

CSA

Lucas Frigeri; Celsinho, Leandro, Xandão e Rafinha; Yuri, Juan (Roger) e Daniel Costa (Dawhan); Didira, Niltinho e Alemão (Hugo). Técnico: Marcelo Cabo

CARTÕES AMARELOS: André Moritz, Judson e Rodrigão (A). Didira, Rafinha e Xandão (C).

EXPULSÃO: Judson (A).

ARBITRAGEM: Elmo Alves Resende Cunha, auxiliado por Tiago Gomes da Silva e Paulo Cesar Ferreira de Almeida (trio de GO).

BORDERÔ: 4.396 torcedores, para uma renda R$ 88.8140.

LOCAL: Ressacada, em Florianópolis.

Veja a tabela da Série B do Brasileiro

Mais notícias do Avaí

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Esportes

publicidade

Colunistas

    publicidade

    publicidade

    publicidade