nsc

publicidade

Agressão

Chapecoense avalia situação de Ivan após briga com ex-namorada em MG

Ele é acusado de roubo de celular e ferimento com faca

14/03/2019 - 14h13 - Atualizada em: 14/03/2019 - 18h45

Compartilhe

Darci
Por Darci Debona
Goleiro é acusado de agressão em Minas Gerais
Goleiro Ivan defende a Chapecoense desde o ano passado
(Foto: )

A direção da Chapecoense se reuniu no início da noite desta quinta-feira pra tratar sobre as medidas que serão tomadas em relação ao goleiro Ivan, que teve uma briga na quarta-feira com a ex-namorada, Laíse Fernandes, em Espinoza-MG.

De acordo com o site G1, o goleiro teria roubado o celular dela e de um rapaz de 21 anos, Douglas Rocha Freitas, por motivo de ciúmes. Freitas teria acionado a Polícia Militar local reclamando que o goleiro o abordou no bairro São Cristóvão e o ameaçou, obrigando-o a entregar o celular.

Depois o goleiro teria ido até um salão de beleza, onde estava a ex-namorada, e a obrigou a fornecer o celular e a senha, onde houve uma briga e até uma ameaça com uma faca que havia no estabelecimento. De acordo com a Polícia Militar o goleiro chegou a ameaçá-la com o objeto e, na briga, a faca caiu no pé da mulher, causando um ferimento. Ela teria sido levada para atendimento no hospital de Espinoza.

A Chapecoense liberou o goleiro na sexta-feira, para resolver assuntos particulares, e seu retorno estava previsto para terça-feira.

Em contato com o repórter Pedro Rocha, da NSC TV, quando ainda estava em São Paulo, aguardando voo para Chapecó. Ele negou as agressões.

- Não roubei celular, não bati na minha ex-, não peguei faca, eu não agredi ninguém, foi só discussão mesmo e empurra-empurra – argumentou o goleiro.

Laíse também negou ao repórter Pedro Rocha que tenha sido agredida com faca. Ela chegou a divulgar uma nota em redes sociais onde confirma que houve discussão e desentendimento por causa da senha do celular mas não houve uso de faca ou qualquer arma.

Questionado sobre o caso nesta manhã, durante a apresentação do zagueiro Gum, o presidente Plínio Davi De Nes disse que o clube aguarda o esclarecimento dos fatos.

- Infelizmente temos que responder a pergunta em um momento que estamos recebendo um atleta que é símbolo do futebol brasileiro e nos deparamos com uma situação que não esperávamos. Entretanto, a diretoria não vai se manifestar até os fatos serem esclarecidos, verem a veracidade dos fatos que constam na reportagem para depois nos manifestarmos – disse.

Ivan chegou no final da tarde em Chapecó mas disse que somente falaria posteriormente com a imprensa.

Deixe seu comentário:

publicidade