publicidade

Esportes
Navegue por

Rivalidade

Clássico Avaí x Figueirense terá melhores ataques e defesas do Catarinense 2019  

Confronto às 16h deste domingo, na Ressacada, tem rivalidade e destaques os primeiros quesitos importantes  

15/03/2019 - 06h40 - Atualizada em: 15/03/2019 - 18h47

Compartilhe

João Lucas
Por João Lucas Cardoso
Avaí e Figueirense se enfrentam pelo Catarinense 2019
Avaí e Figueirense se enfrentam pelo Catarinense 2019
(Foto: )

Enquanto um está na dianteira na classificação, o outro tem o chamado time equilibrado. Se no primeiro turno Avaí e Figueirense se encontraram para o primeiro clássico de 2019 com apenas três partidas realizadas, no jogo das 16h deste domingo (17), pelo Campeonato Catarinense, as equipes chegam mais calejadas e com números que fazem da disputa em forças similares uma projeção cabível. A partida na Ressacada vai colocar à prova todos eles – se é que são capazes de definir um clássico com tanta rivalidade.

Mandante, o Avaí está na terceira colocação, mas tem a melhor defesa e o melhor ataque do Catarinense 2019. O equilíbrio, na linguagem dos treinadores, é representado por 21 gols marcados e apenas cinco sofridos nos 12 jogos até agora. No entanto, há um dado significativo relacionado ao duelo deste domingo. Pelo Estadual, o Leão não foi vazado em seus domínios e ainda marcou 16 tentos.

O líder Figueirense está atrás nos números de gols, mas nenhum pouco afastado do arquirrival. A equipe alvinegra tem o segundo melhor ataque de todo o Catarinense, com 17 tentos – 1,4 por jogo —, sendo sete anotados como visitante. No aspecto defensivo, também está segundo, mas divide o status com o Marcílio Dias: são sete sofridos até agora.

Hora de balançar a rede

O Avaí demonstra nesse Catarinense que pode mexer com o resultado até instantes antes do último apito de Bráulio da Silva Machado, designado para mediar a partida. Dos 21 gols anotados, oito foram assinalados a partir dos 30 da etapa complementar, sendo dois já nos acréscimos. Ainda que tenha os tentos tomados mais distribuídos, a maior incidência no Figueirense foi na metade do segundo tempo: quatro entre os minutos 16 e 30.

Já a defesa de ambos tem um momento de fragilidade determinado. Foram nos primeiros 15 da etapa derradeira que tanto Leão quanto Furacão sofreram a maior parte dos gols, três cada nesta fatia da partida. Ainda, o Figueira tem dois tomados nos começo dos confrontos, enquanto os azurras só tomaram um no primeiro tempo de todos os 12 jogos até aqui.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação