publicidade

Trânsito

Começa obra de segunda faixa em alça de acesso à Via Expressa, em Florianópolis

Na segunda-feira (01) o espaço estará liberado para o trânsito 

28/06/2019 - 15h50 - Atualizada em: 29/06/2019 - 15h27

Compartilhe

Por Mateus Boaventura
Limpeza do espaço começou nesta sexta-feira (28)
Limpeza do espaço começou nesta sexta-feira (28)
(Foto: )

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) iniciou nesta sexta-feira (28) a construção de uma segunda faixa na alça de acesso à Via Expressa (BR-282) após o viaduto de Coqueiros, em Florianópolis. Os trabalhos seguem durante o fim de semana. Na segunda-feira (01) o espaço estará liberado para o trânsito.

A área do acostamento será aproveitada do trecho para a nova faixa. O superintendente substituto do Dnit/SC, Nevio Carvalho, falou que o acesso inclusive pode ficar pronto antes do prazo.

— Acreditamos que neste sábado o trabalho deve ser concluído e na segunda-feira quem vem do Estreito já terá melhores condições — comentou.

Para o Observatório da Mobilidade Urbana da Universidade Federal de Santa Catarina, a mudança vai possibilitar uma melhor inserção dos veículos no leito principal da Via Expressa, sentido Ilha, e vai distribuir o fluxo de trânsito na região, mas não deve resolver o problema.

— Só que não tem milagre. Vamos ter cinco faixas de tráfego, reduzindo para quatro e mais a frente para três. As filas vão retornar para a BR-282 e aliviar, um pouco, para quem vem do Estreito e da Ivo Silveira. É uma questão de justiça equilibrar as filas. — comenta o professor Werner Kraus Jr, pesquisador do Observatório.

Orientação do trânsito

A Guarda Municipal de Florianópolis vai orientar o trânsito com a mudança nesta segunda-feira. De acordo com o comandante da GMF, Ivan Couto, a expectativa é que a mudança solucione o problema das filas.

— Liberando as duas faixas na alça, a gente acredita que vai voltar a normalidade.

O administrador Gilson Librantz (56) mora no bairro Kobrasol, em São José, e trabalha no Estreito, em Florianópolis. Ele conta que as primeiras horas da manhã são as piores.

— As pessoas ficam engarrafadas das 7h às 8h30 e para tudo quando tem acidente na ponte — falou Librantz, que administra uma oficina na rua Eurico Gaspar Dutra.

A medida emergencial foi tomada após uma semana de transtornos para os moradores dos bairros do Continente que tentavam chegar à Ilha, principalmente vindos do Estreito. O problema começou depois que a terceira faixa da Via Expressa foi liberada, na semana passada, e o acesso após o viaduto de Coqueiros afunilou para uma faixa.

Deixe seu comentário:

publicidade