nsc
    dc

    MMA

    Dana avalia desistência de Amanda do UFC 213: "90% mental e 10% físico"

    Presidente do UFC revela que brasileira estava liberada para lutar, mas não se sentia bem

    10/07/2017 - 05h00

    Compartilhe

    Por Lancepress
    (Foto: )

    Depois do cancelamento da luta principal do UFC 213, que aconteceria entre Amanda Nunes e Valentina Shevchenko, o presidente do Ultimate Dana White comentou o "mal-estar" que fez com que a brasileira desistisse de encarar sua rival na disputa de cinturão peso galo feminino programada para o show.

    Segundo Dana, em coletiva de imprensa realizada após o UFC 213, a decisão de Amanda representa mais uma fraqueza mental do que física.

    Leia mais:

    Amanda Nunes passa mal, e luta contra Valentina é cancelada

    UFC 213: em luta apertada, Werdum perde na decisão para Overeem

    UFC 213: azar, zebra e injustiça

    — Antes da cerimônia da pesagem me disseram que ela não estava se sentindo bem e eu nem sabia se ela iria aparecer. Ela precisava encontrar o médico para ele dizer o que estava acontecendo com ela. Até que ela apareceu e tudo correu bem. Na manhã deste sábado, acordo e escuto que ela novamente não se sente bem. E que ela não está se sentindo bem e provavelmente não vai lutar. Então perguntei aos médicos o que estava acontecendo. Ela foi medicamente liberada. Ela estava bem fisicamente. Eles não acharam nada de errado com ela, mas ela não se sentia bem. Não foi como se ela estivesse absolutamente recusando a luta. Ela disse que não se sentia bem. Acho que isso foi 90% mental e 10% físico. Muito lutadores se sentem dessa forma — avaliou o dirigente.

    Leia outras notícias sobre o UFC

    *LANCEPRESS

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Esportes

    Colunistas