publicidade

Esportes
Navegue por

Tragédia no Flamengo

"Ele sempre vinha aqui", lembra diretor de escola em que Vítor Isaías estudava

Diretor administrativo da unidade diz que ex-aluno, vítima do incêndio no CT do Flamengo, tinha boas notas e se dava bem com a comunidade

08/02/2019 - 18h48 - Atualizada em: 08/02/2019 - 18h51

Compartilhe

Por Samuel Nunes
Vítimas catarinenses se conheceram nas categorias de base do Athletico Paranaense
Vítimas catarinenses se conheceram nas categorias de base do Athletico Paranaense
(Foto: )

A morte prematura do jovem Vítor Isaías, de 15 anos, chocou os professores do Centro Educacional Municipal Professora Maria Iracema Martins de Andrade, em São José, na Grande Florianópolis. O adolescente foi uma das vítimas do incêndio que matou 10 pessoas na madrugada desta sexta-feira (8), no Centro de Treinamento do Flamengo, conhecido como Ninho do Urubu, no Rio de Janeiro.

Segundo o diretor administrativo da unidade, José Mauro D'Ávila, o jovem atacante estudou no local entre 2010 e 2017. Ele saiu da escola quando terminou o 8º ano do Ensino Fundamental, para ingressar no Athletico Paranaense.

O atacante era uma das promessas do Flamengo e vinha se destacando com a camisa 9 rubro-negra. Na escola, não era diferente com as notas, segundo o diretor.

— Dessa criança, a gente não tem o que falar. Só elogios a ele. Era um aluno excelente — conta.

Ainda de acordo com o diretor, o ex-aluno era bastante querido pelos professores. Ele conta que, mesmo depois de sair da unidade, ainda continuava visitando os professores.

— Sempre que ele estava em Florianópolis, ele vinha aqui na escola. Estudou com a gente desde pequeninho.

A diretora-geral da escola, Adriana Bernadete Pires, também lamentou a morte do ex-aluno. Ela diz que lembra com carinho de Vítor e que alguns ex-colegas dele ainda estudam na unidade.

— Um menino brincalhão, com um sorriso lindo, sempre de bem com a vida. Às vezes, fazia umas sapequices, mas era sempre muito educado, muito respeitoso — lembra.

De acordo com a diretora, o ex-aluno será lembrado em uma homenagem, que será preparada para a primeira semana de aulas da escola.

Carreira no Figueirense

Vitinho, como era conhecido pelos colegas, começou a carreira nas quadras de futsal. Nos primeiros passos, chegou a atuar como atleta do Figueirense. O clube emitiu uma nota, lamentando a morte do ex-jogador. "O Furacão ratifica a manifestação de solidariedade à família do atleta, bem como o necessário apoio ao clube carioca e demais envolvidos no desastre", diz trecho do texto. Pelo Alvinegro, Isaías chegou a ser campeão da Taça Brasil Sub-13.

Em nota, o empresário Sávio Bortolini lamentou a morte do atleta. O ex-jogador do Flamengo era responsável pela carreira de Vítor Isaías. Um dos sócios da empresa de agenciamento viajou ao Rio de Janeiro, para tentar ajudar na liberação do corpo do atacante catarinense.

"Pedimos respeito e compreensão de todos neste momento de luto e nos solidarizamos com os demais familiares e amigos desses jovens atletas que lutavam para alcançar o sonho de ser um jogador de futebol profissional"", diz trecho da nota da empresa de Sávio Bortolini.

Passagem por Curitiba

Antes de chegar às categorias de base do Flamengo, Vítor Isaías passou pelo Athletico Paranaense. No clube de Curitiba, ele conheceu e chegou a jogar junto com outra vítima catarinense do incêndio, o goleiro Bernardo Pisetta. Os dois são vistos juntos em uma fotografia publicada no Instagram de Vítor, em fevereiro de 2018.

A chegada ao Flamengo aconteceu em agosto. Em setembro, ele e Pisetta já posavam novamente em uma foto pré-jogo. Dessa vez, pelo rubro-negro carioca.

As trajetórias dos dois atletas promissores, no entanto, acabou com o incêndio que deixou, além dos mortos, três atletas feridos, dos quais um segue internado em estado grave e os outros dois, na Unidade de Terapia Intensiva, em observação.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação