nsc
an

REGIÃO INTERCÂMBIO CULTURAL

Família alemã ensina danças típicas para grupos folclóricos de Jaraguá do Sul

Neste sábado, ocorre o encontro que é promovido pela Liga de Grupos Folclóricos Germânicos do município

12/02/2016 - 05h59

Compartilhe

Por Redação NSC
esq. para a dir., Ilka Schmidt, Landulf e a esposa Silvia Jäger com a filha Johanna, e Eduardo cultivam as tradições do país europeu
esq. para a dir., Ilka Schmidt, Landulf e a esposa Silvia Jäger com a filha Johanna, e Eduardo cultivam as tradições do país europeu
(Foto: )

Quem entra na casa da família Schmidt se sente um pouco na Alemanha. Lá, todos falam alemão e mantêm laços com os antepassados. Fortalecendo o vínculo, um casal de professores alemães de dança folclórica está na região para ensinar danças germânicas a grupos folclóricos de Jaraguá do Sul.

>> Leia mais reportagens sobre Jaraguá do Sul e região >>

Silvia e Landulf Jäger chegaram ao Brasil no mês passado. Desde então, o casal dá cursos de dança folclórica na Associação Cultural de Gramado (RS), roteiro que sempre faz quando está no País; foram para São João D?Oeste para ensinar mais alunos; e agora, neste sábado, mostram a arte aos amantes da cultura germânica de Jaraguá. Depois, Silvia e Landulf viajam para o Espírito Santo, onde concluem a passagem pelo Brasil.

- Desde 1989, viajamos para o Brasil para ensinar danças folclóricas germânicas. Também apresentamos os trajes típicos de cada região, levando a história e os rituais daquela época - conta Silvia.

O casal se completa na hora de ensinar. Um é professor de música e outro, de dança. Segundo Silvia, os brasileiros se soltam mais na hora de dançar, por isso conseguem se expressar melhor e transmitir a alegria durante a execução dos passos. Para Landulf, daqui a 50 anos, os alemães terão que resgatar a sua cultura no Brasil, pois os jovens estão dando continuidade às tradições dos colonizadores.

Entre os amantes da cultura germânica está o casal Ilka e Eduardo Schmidt, que hospedam os alemães em Jaraguá. Ilka e Eduardo são membros do Centro Cultural Neue Heimat e, por muitos anos, ajudaram a manter viva as tradições alemãs.

- Conhecemos a Silvia e o Landulf na primeira vez que vieram ao País em um encontro em Gramado. O grupo folclórico deles, Tanz-und Folkloreensemble Ihna, já se apresentou na Sociedade Cultura Artística (Scar) em 2002. É uma troca muito gostosa e sempre aprendemos mais - afirma Ilka.

Neste sábado, o encontro é promovido pela Liga de Grupos Folclóricos Germânicos de Jaraguá do Sul. Cada grupo pode levar quatro casais para aprender as novas danças. O Centro Cultural Neue Heimat pode levar integrantes para observar as aulas.

Colunistas