nsc

publicidade

Em recuperação

Follmann é operado em São Paulo e passa bem

Cirurgia teve duração de uma hora e meia e terminou por volta das 18h, sem intercorrências

13/12/2016 - 19h38

Compartilhe

Por Agência Brasil
(Foto: )

O goleiro da Chapecoense, Jackson Follmann, um dos seis sobreviventes do acidente aéreo ocorrido no dia 29 de novembro na Colômbia, foi submetido nesta terça-feira a uma cirurgia para correção de uma fratura, com fixação da segunda vértebra cervical.

Segundo boletim divulgado divulgado na noite desta terça pelo Hospital Albert Einstein, onde Follmann foi operado, a cirurgia teve duração de uma hora e meia e terminou por volta das 18h, sem intercorrências. Follmann passa bem, está em recuperação pós-anestésica e voltará para a unidade de terapia intensiva (UTI) do hospital para observação pós-cirúrgica.

Leia mais:

Com apoio da torcida brasileira, Atlético Nacional estreia no Mundial de Clubes nesta quarta-feira

Neto deve voltar ao Brasil na quinta-feira, segundo médico

Ministro boliviano afirma que LaMia realizou outros voos com pouco combustível

O atleta, que teve parte da perna direita amputada, estava internado na Colômbia e chegou a São Paulo nesta madrugada. Ele foi o primeiro brasileiro sobrevivente do acidente a voltar ao país.

A cirurgia foi conduzida pelo neurocirurgião Jorge Roberto Pagura e pelo ortopedista Alexandre Sadao Iutaka, com o acompanhamento de suas equipes e do ortopedista Marcos André Sonagli, médico da Chapecoense.

O hospital informou que a cirurgia foi feita com o uso de uma tomografia computadorizada intraoperatória que serviu para visualizar, em tempo real, a colocação de um parafuso fixador. Também houve monitorização neurofisiológica, que permitiu o conhecimento das condições funcionais da medula durante o procedimento. Após a cirurgia, também foram feitos curativos no membro inferior esquerdo e no coto de amputação (direito), "que se encontram com bom aspecto".

No acidente com o avião, que levava a equipe da Chapecoense para Medellín para a disputa do primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana, 71 pessoas morreram, entre atletas, membros do clube, tripulantes e jornalistas. Entre os seis sobreviventes, quatro são brasileiros e dois bolivianos.

Leia outras notícias sobre Esportes

*AGÊNCIA BRASIL

Deixe seu comentário:

publicidade