nsc
    an

    FInanças

    Greve dos bancários atinge 80% das agências em Joinville

    Sindicato diz que 51 postos de atendimento estão paralisados em Joinville. Volta ao trabalho depende de decisão nacional

    13/09/2016 - 09h10 - Atualizada em: 13/09/2016 - 09h26

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    Já são 51 agências com atendimento comprometido ou totalmente paralisado em Joinville
    Já são 51 agências com atendimento comprometido ou totalmente paralisado em Joinville
    (Foto: )

    Em greve desde a sexta-feira, dia 9, os bancários de Joinville dizem ter paralisado o atendimento em 80% das agências da cidade na manhã desta terça-feira.

    Confira outras notícias de Joinville e região no AN.com.br/joinville

    - Ano passado foram 21 dias de greve e achamos que este ano o movimento está ainda mais forte - disse o presidente do Sindicato dos Bancários de Joinville e Região, Valdemar da Luz Filho.

    De acordo com a entidade, 51 das 63 agências bancárias de Joinville têm funcionários paralisados.

    Na tarde desta terça, em São Paulo, bancários e representantes dos bancos se reúnem para tentar chegar a um acordo.

    - Mesmo que a proposta seja boa, é preciso marcar uma assembleia e colocar em votação - diz Valdemar.

    Por isso, é pouco provável que a greve seja encerrada antes de quinta-feira, mesmo que haja um posicionamento nacional pelo fim do movimento.

    A greve foi deflagrada na terça-feira da semana passada em todo país. A paralisação é por tempo indeterminado.

    De acordo com o Sindicato, estão fechadas 100% das agências da rede privada em Joinville (37 agências), e 50% na rede pública (cinco da Caixa Federal e oito do Banco do Brasil), além de seis agências com atendimento parcial (três do BB e três da Caixa).

    Reivindicações

    A categoria rejeitou na semana passada a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de 6,5% de reajuste sobre os salários, a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e os auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil.

    Os sindicatos alegam que a oferta ficou abaixo da inflação de 9,57% e representa perdas de 2,8% para o bolso.

    Eles reinvindicam a reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial, no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$3.940,24 em junho), PLR de três salários mais R$ 8.317,90, além de outras questões, como melhores condições de trabalho.

    Atendimento

    A orientação para os clientes continua a mesma da semana passada, de que só procurem as agências em casos absolutamente necessários.

    Como cada agência tem um número diferente de funcionários em greve, alguns bancos de Joinville estão conseguindo manter o atendimento, mesmo com poucos atendentes.

    Em nota, a Febraban lembra que os clientes podem utilizar os caixas eletrônicos para agendamento e pagamento de contas (desde que não vencidas), saques, depósitos, emissão de folhas de cheques, transferências e saques de benefícios sociais.

    Nos correspondentes bancários (postos dos Correios, casas lotéricas e supermercados) é possível também pagar contas e faturas de concessionárias de serviços públicos, sacar dinheiro e benefícios e fazer depósitos, entre outros serviços.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas