nsc
an

Violência contra mulher

Homem não aceita separação e joga líquido fervendo em mulher em Joinville

Mulher de 49 anos sofreu queimaduras em 40% do corpo. Ela está internada em estado grave em um hospital da cidade

29/01/2015 - 08h07 - Atualizada em: 04/02/2015 - 06h47

Compartilhe

Por Redação NSC
Filhos de 23 e 30 anos acompanham mãe no hospital e clamam por justiça
Filhos de 23 e 30 anos acompanham mãe no hospital e clamam por justiça
(Foto: )

Uma moradora de Joinville, de 49 anos, nunca imaginou que a decisão de separar-se do companheiro com quem viveu durante sete anos quase lhe custaria a própria vida. De acordo com a filha, de 23 anos, o ex-companheiro entrou na casa da família na madrugada da última quarta-feira, ferveu um líquido no fogão da cozinha _ que supostamente seria óleo com ácido _ e jogou na mãe dela.

A filha conta que o Lauri Amado de Souza Nery entrou na casa por que ainda tinha as chaves do imóvel, já que a separação era recente. Após aquecer o óleo, o homem teria acordado a mãe no quarto e teria jogado o líquido após ela se levantar. O crime aconteceu em um corredor da casa. O líquido atingiu o rosto e parte do corpo da mulher. A filha acordou com os gritos da mãe por pedido de socorro. A mãe relatou aos prantos que a pele estava ardendo e que não conseguia enxergar.

- Ele ainda tinha a chave de um dos portões. Ele entrou, ferveu o óleo, entrou no quarto, deu uma risada e quando ela saiu no corredor ele jogou (o líquido). E disse: 'agora você não fica com mais ninguém' - relatou a filha.

De acordo com o hospital onde a vítima está internada, ela sofreu queimaduras em 40% do corpo, algumas de terceiro grau. O líquido atingiu o rosto _ inclusive os olhos _ abdômen e pernas. Ela está estabilizada e acordada, porém sofre com muitas dores. Médicos especialistas estão acompanhando o caso que é considerado grave.

Uma foto de Lauri que está sendo divulgada pelas redes sociais. O apoio da família tem colaborado com as investigações da polícia.

- O que ele fez não se faz nem com um animal. Foi uma brutalidade inacreditável - lamenta a filha em uma das postagens em seu perfil no Facebook.

A delegada Tania Cristina Duarte Harada, que responde pela Delegacia de Proteção à Mulher, Criança e Adolescente, já solicitou um pedido de prisão preventiva à Justiça pelo crime de tentativa de homicídio. Lauri é considerado foragido e está sendo procurado pela polícia da região. Caso Lauri seja preso antes de encerrar a perseguição policial, a delegada entende que o suspeito ainda está na condição de flagrante.

- A delegacia da mulher vai atuar com todos os instrumentos que estiverem à sua disposição, buscando a responsabilização do suspeito. A violência não será tolerada, haverá atuação firme da polícia - ressaltou.

Foto do suspeito divulgada pela família nas redes sociais:

Família diz sofrer ameaças

Após o trágico episódio que deixou 40% do corpo da mulher queimado, os filhos disseram que estão recebendo ameaças do suspeito. O ex-companheiro teria feito ligações a um familiar e teria dito que voltaria a prejudicá-los.

- Ele disse que isso é só começo - contou a filha.

A moça está 24 horas de prontidão no hospital para acompanhar o estado de saúde da mãe. Ela tem receio que o homem volte a prejudicar a família.

- Tudo o que nós queremos é justiça e que ele seja preso - desabafou.

Homem não apresentava comportamento agressivo

Os filhos da vítima estão assustados com a reação do ex-companheiro da mãe, porque ele nunca havia apresentado comportamento agressivo. Também nunca destratou os dois enteados. A mãe, que está consciente no hospital, também não se conforma com a atitude do homem com quem viveu por tanto tempo.

Até então, a separação estava ocorrendo de forma amigável. A mulher deixou que o homem levasse os móveis que adquiriram juntos. Ela queria que ele ficasse bem e esperou que ele fizesse a mudança gradativamente.

- Foi uma decepção muito grande. Ela (mãe) sempre foi muito boa para ele - relatou a filha.

Colunistas