nsc
dc

Sem visitantes

Justiça determina que clássicos no Rio terão torcida única

Medida foi tomada após briga que resultou em morte antes de Botafogo x Flamengo, no Engenhão

17/02/2017 - 15h23 - Atualizada em: 17/02/2017 - 17h29

Compartilhe

Por Lancepress
(Foto: )

A organização dos clássicos do Rio de Janeiro passará por uma mudança drástica. O juiz Guilherme Schilling, do Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos do Rio, decidiu em caráter liminar, nesta sexta-feira, que os duelos disputados no estado entre grandes clubes serão realizados com torcida única. Ainda cabe recurso.

Segundo a determinação, somente poderão entrar no estádio torcedores dos clubes que tiveram mando de campo. A decisão afeta Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco, que "não poderão comercializar ingressos para a torcida adversária". O juiz acatou uma ação solicitada pelo promotor de Justiça Rodrigo Terra, do Ministério Público do Rio de Janeiro. A partir de agora, a Ferj terá de adequar seu regulamento para cumprir a medida judicial.

Leia mais:

Vasco anuncia Luís Fabiano

Inter recebe multa, mas não sofre perda de mando em julgamento por briga de torcidas

Procuradoria do TJD irá recorrer de decisão no caso da briga de torcidas do Inter em Veranópolis

Caso algum clube não cumpra a decisão, a multa estabelecida é de R$ 30 mil por dia, a ser paga tanto pelos clubes quanto pela CBF e pela Ferj, que também são réus da ação.

Veja a nota do MP-RJ:

O Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos deferiu, nesta sexta-feira (17/02), a liminar requerida pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) que proíbe os ¿quatro grandes¿ do Rio (Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo) de comercializar ingressos para a torcida adversária em clássicos regionais.

Só terão direito a entrar no estádio os torcedores do clube que tiver o mando de campo. Também são réus na ação, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), que foram notificadas pelo juiz Guilherme Schilling a adequarem seus regulamentos. Em caso de descumprimento da decisão judicial, foi fixada multa de R$ 30 mil.

*LANCEPRESS

Colunistas